DONATE

18) A performance e a incapacidade / capacitando a performance

Coordenadorxs
Arseli Dokumacı e Kim Sawchuk

Descrição do tema e objetivos
Quais são as interseções entre a incapacidade e a eX-centricidade? Como a incapacidade pode desestabilizar as fronteiras do que se considera o centro e suas eX-tremidades? Como pode uma perspectiva de incapacidade perturbar os códigos comuns, desordenar e reorganizar os modelos do possível? Como poderia uma perspectiva de Estudos da Performance ativar e reanimar debates desgastados, como a brecha entre a deficiência e a incapacidade? Como poderia a eX-centricidade da incapacidade desafiar a prática estética e abrir novas possibilidades de ativismo? Abordando temas comumente encontrados nos Estudos da Performance e nos Estudos da Incapacidade, este grupo de trabalho enfocará a interrelação entre a performance e a incapacidade para produzir novas eX-centricidades. Convidamos artistas, acadêmicos, teóricos e ativistas a explorar como os dois paradigmas poderiam alinhar-se e contribuir produtivamente um com o outro.

Descrição do formato ou estrutura
Este grupo de trabalho aceita ensaios, performances, intervenções, práticas de movimentos, experimentos e trabalhos em multimídia. As apresentações e discussões serão conduzidas em forma de diálogo em vez do formato padrão de ‘conferência’. A sessão final será uma reflexão em grupo, em que os participantes discutirão de forma colaborativa os temas que tenham surgido durante as sessões anteriores.

Descrição dos requisitos para que os interessados possam candidatar-se a participar do grupo de trabalho
Um resumo da contribuição proposta (300 palavras, no máximo).

As contribuições podem incluir, mas não limitam-se a

  • Apresentações de ensaios
    Performances  
    Intervenções
    Práticas de movimentos
    Trabalhos em multimídia

Idiomas
Inglês, francês.

Biografias dxs coordenadorxs
Arseli Dokumacı
é pesquisadora bolsista de pós-doutorado no Departamento de Estudos Sociais da Medicina na McGill University e pesquisadora associada do Canadian Consortium for Performance and Politics in the Americas. Tem um Ph.D. em Estudos da Performance da Aberystwyth University e completou seu trabalho de pós-doutorado no Mobile Media Lab da Concordia University, onde continua trabalhando como associada. Arseli é videomaker e profissional de mídia e sua pesquisa explora as interseções entre a performance e a incapacidade por meio de uma variedade de gêneros e perspectivas, incluindo a etnografia visual. É diretora de grupos constituintes (Chair of Constituency Groups) e membro do conselho diretor da Performance Studies international. É também membro fundador do Grupo de Trabalho sobre os Estudos da Incapacidade da Concordia (Concordia Disability Studies Working Group).

www.performingdisability.com

Kim Sawchuk é cofundadora do coletivo “m.i.a/montreal in/accessible”, um grupo de acadêmicos, artistas e ativistas que usam tecnologias midiáticas e metodologias performativas para instigar a consciência das diversas permutações da discriminação contra pessoas com incapacidades. É cofundadora do Grupo de Trabalho sobre os Estudos da Incapacidade da Concordia (Concordia Disability Studies Working Group) e uma das coordenadoras, junto com Arseli Documacı, do grupo de trabalho sobre a performance e a incapacidade no Encuentro Hemi de 2015. É professora no Departamento de Estudos da Comunicação e chefe de pesquisa em Estudos de Mídias Móveis na Concordia University. É também autora e co-editora de inúmeros artigos e livros sobre a política e a corporalidade (embodiment).