Agentes Culturais

Coordenado por Doirs Sommer

Democracia é uma atividade de criatividade coletiva e requer uma disposição em direção às “artes” de harmonizar as diferenças entre lei, cultura e moral e desenvolver direitos e recursos mediante inovações que precisamente fazem das limitações fonte de criatividade. Agentes culturais exemplares como Augusto Boal e  Antanas Mockus, com cuja participação contamos no Encontro,  servem de modelos e de inspiração. O trabalho inovador de Mockus, como prefeito de Bogotá, conseguiu levantar o civismo na então atormentada cidade e diminuir a taxa de homicídios em mais de 60%. Augusto Boal, fundador do “teatro do oprimido”, envolvendo os cidadãos em atividades do teatro legislativo, já gerou mais de 14 disposições legislativas aprovadas. Nosso Grupo de Trabalho fará inventários de uma variedade de mecanismos e efeitos que se produzem quando a arte e a reflexão intervêm na vida cívica e seguiremos refletindo sobre a relação entre democracia, criatividade e educação para desenvolver expectativas [e responsabilidades] com respeito aos bens culturais à sociedade civil.

Participantes

Antanas Mockus, Karina Moeller, Jorge Arcila, Catherine Connor, Petrona de la Cruz Cruz, Maria Eugenia Ulfe, João Kulcsár, Natalie Herlinghaus, Tasha Hubbard , Peter Kulchyski, Miriam W. Laughlin, Robert M Laughlin, Julio Pantoja, Fernando Rosenberg, Lys Stevens, James Thomas, Patricia Ybarra, Isabel Juárez Espinosa, Cynthia Bodenhorst, Doris Difarnecio, Angela Pérez Mejía, Lybia Rivera, Catalina Ocampo, Pedro Reyes, Victor Hugo Adler Pereira.