Trauma, memória e performance

Trauma, memória e performance

Coordenadoras:
Marianne Hirsch e Diana Taylor

Resumo:

Marianne Hirsch e Diana Taylor Ao enfocar o depoimento de sobreviventes e locais de memória na 'Guerra Suja' da Argentina, este Grupo de Trabalho questiona se exemplos específicos de trauma/memória/performance têm sua própria e singular estrutura e idioma ou se podemos pensar sobre o trauma individual e coletivo através de lentes translocais e cosmopolitas. Os tópicos incluem: a performance do poder do Estado e o terror patrocionado pelo Estado; a natureza individual e coletiva do trauma; o estudo das práticas corporizadas como o depoimento e o testemunho; a construção de arquivos de depoimentos; depoimento: seu uso na literatura, museus e pedagogia, sua dramatização feita por outros, seu arquivamento; seu papel social nos locais de memória (ESMA, Club Atlético, etc.); teatros de justiça como julgamentos, tribunais e comissões de inquérito; performances de protesto e resistência.

Biografias:

Marianne Hirsch: Professora de Inglês e Literatura Comparada e Diretora do Instituto para a Pesquisa sobre a Mulher e Gênero na Columbia University, Nova York, Estados Unidos.

Diana Taylor: Professora de Estudos da Performance e Espanhol na New York University e Diretora fundadora do Instituto Hemisférico de Performance e Política. É a autora dos seguintes livros: Theatre of Crisis: Drama and Politics in Latin America (1991), Disappearing Acts: Spectacles of Gender and Nationalism in Argentina's 'Dirty War', Duke U.P. (1997), e The Archive and the Repertoire: Performing Cultural Memory in the Americas (2003).

FaLang translation system by Faboba