Intervenções Urbanas (Rua)

A série de Intervenções Urbanas, com curadoria de Dioscórides Pérez, aconteceu em vários pontos de Bogotá, desde o Parque de la Independencia até a Plaza Bolivár e ao longo da Séptima.  Esta série possibilitou um engajamento com o espaço e os cidadãos no contexto urbano.

Para ver o mapa digital completo das várias rotas das Intervenções Urbanas, além de informação sobre os artistas, clique aqui para ver o site criado por Dioscórides Pérez e seu time, e leia sua Crónica de Acciones Urbanas (em espanhol) publicada em e-misférica.

Dioscórides Pérez (Pereira, 1950) estudou teatro e artes plásticas na Facultade de Artes da Universidad Nacional de Colombia. É professor de desenho e gravura na mesma facultade desde 1978. Tem pós-graduação em gravura – com bolsa da OEA – no CREAGRAF da Universidad de Costa Rica. Atualmente é Professor Titular e ensina cursos de Corpo e Espaço, Performance, Land Art, Taichi e Chigong. Sua já recebeu vários reconhecimentos, como o Primeiro Prêmio na Bienal Latinoamericana de Gravura de Costa Rica e duas vezes o Primeiro Prémio em desenho do Concurso da K.C.C. Art Gallery de New York. Seu trabalho criativo se extende também à escritura de contos, relatos e crônicas. Há alguns anos se dedica ao trabalho de performance e à land art, e a buscar os rastros das culturas indígenas, especialmente do xamanismo e da arte rupestre.

jp_amaciel_chao_enc09_0013

photo/foto: Julio Pantoja

O chão nas cidades

A intervenção, realizada por estudantes, artistas voluntários colombianos, examina a tensão da cidade entre os moradores de rua e a população produtiva local.  O objetivo da performance é tornar evidente a vulnerabilidade dos laços sociais e o grau zero de garantias de um enorme contingente da população urbana.

Biografia

Andrea Maciel Garcia é doutoranda em Artes Cênicas, mestre em Teatro, Performance e Cultura pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), e bacharel em Artes Cênicas pela mesma Universidade. É coreógrafa, performer e bailarina. Coordena grupos de iniciação científica na área da Performance e é professora assistente do Centro Universitário da Cidade - Bacharelado de Artes Cênicas.

Andréa Maciel García

jp_amurillo_monosabio_enc09_0005

photo/foto: Julio Pantoja

Monosabio

Este projeto de local específico ocorreu no campo de touradas de Santamaría, no centro de Bogotá. Um touro é derrubado na areia e depois incinerado após o cair da noite; tenta-se então apagar a silhueta, mas quanto mais se esforçam em apagá-la, mais visível ela se torna. Esta performance expõe o ciclo vicioso do assistente de toureiro, o ‘monosabio’, que nasce e morre em um eterno retorno. Esta performance explora as noções de vida e morte, tanto contraditórias quanto complementares – o ‘monosabio’ tenta limpar os rastros da morte, apenas para preparar o palco para outras mortes. Ao realizar esta ação em um espaço situado no centro de Bogotá, a performance aborda a atual situação política violenta na Colômbia e questiona o ciclo de vida e morte problemático e não-natural que esse contexto implica.

Biografia

Andrés Sebastían Murillo Espinosa é estudante de arte da Universidad Jorge Tadeo Lozano. Desde que entrou para realizar seus estudos em arte, tem seguido um processo rigoroso com o qual já trabalhou em diferentes práticas artísticas.

Andrés Sebastián Murillo

kinestecia11_enc09

photo/foto: Juan Rozo

Projeto Kinestesia

Propõe uma subversão simbólica do espaço público, concentrando-se no sistema de transporte coletivo em Bogotá, o Transmilênio, através de ações absurdas ou fora de contexto, para serem realizadas dentro dos ônibus. A ação será registrada em vídeo e publicada on-line,  acompanhada de um registro dos respectivos trâmites e licenças.

Biografia

Carlos Andrés Rozo é artista cênico da Escola Estudio XXI, em Bogotá. É membro do grupo Cámara Estudio XXI, e tem experiência em direção de televisão independente, experimentos audiovisuais e criação de roteiros.

Carlos Andrés Rozo

mrudas_chicasextraordinarias_urbanintervention_enc09__0035

photo/foto: Mateo Rudas

Meninas extra-ordinárias

Intervenção urbana no centro da cidade de Bogotá. Surge da noção do corpo no espaço e como um exercício de observação que indaga sobre as diversas relações que se estabelecem com o espaço  público.  Esta proposta responde à necessidade de fazer visível a prostituição da qual fazemos parte,  no nosso modelo atual  religioso- econômico-financeiro.

Biografia

Chicas extra-ordinarias é grupo de pesquisa-criação em torno das dinâmicas do corpo e em diálogo com a cidade, formado a partir do Mestrado Interdisciplinar em Teatro e Artes Vivas da Universidade Nacional da Colômbia por artistas provenientes de diversas disciplinas artísticas. 

Integrantes: Liliana Martín, Alejandro Cárdenas, Lorena López, Eduardo Ruiz y Jaime Torres.

Chicas Extra-Ordinarias

jp_ASAB_santos_enc09__0015

photo/foto: Julio Pantoja

Os santos morrem antes. Evocação, vazios e despojos

Intervenção artística no Matadero Distrital de Bogotá (bairro dos açougues e matadouros). É uma tentativa de entender a dor das mães esquecidas, que perdem seus filhos,  articulada à uma linguagem plástica e elaborada pelos estudantes e professores na Facultad de Artes-Asab da Universidad Distrital Francisco José de Caldas de Bogotá. Nesse corpo expoliado, agredido e esquecido, nestes pedaços de ex-braços que ainda restam do antigo Matadero Distrital, interpelamos a realidade colombiana, aqui na que será a futura sede das artes da Universidade: la Aduanilla de Paiba.

Membros:

María Teresa Osorio
Ignacio Rodríguezbr
Jorge Peñuela
José Assad
Rocío Méndez

Colectivo ASAB

mrudas_dkohn_limite_enc09__0033

photo/foto: Mateo Rudas

O limite da gaiola

A performer transita pela cidade com uma gaiola na cabeça. Esta imagem provoca uma reflexão sobre o absurdo, sobre a limitação, sobre as diversas formas de liberdade.

Biografia

Daniela Kohn é artista brasileira que cursou Letras na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente, cursa a Escola de Belas Artes na Universidade Federal do Rio de Janeiro, e participa de um grupo coletivo de arte chamado Opavivará, no Rio de Janeiro.

Daniela Kohn

nk_eleonora_accionesbogotanas_enc09_0028

Photo/Foto: Niki Kekos

Ações bogotanas

Ação na praça pública central mais heterogênea e agitada de Bogotá:
# 3: as duas jarras: água do barro para a prata para o barro da prata
#

Fotógrafo: Felipe Ribeiro

Biografia

Eleanora Fabião é performer e teórica da performance. É professora associada em direção teatral da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na Escola de Comunicações. Tem doutorado em Estudos da Performance pela New York University e mestrado em História social da cultura pela PUC-Rio (com bolsa da CAPES).

Eleanora Fabião

mrudas_errogrupo_protesto_enc09__0014

photo/foto: Mateo Rudas

Protesto portátil

Intervenção urbana que questiona o poder dos meios de comunicação na esfera política. A partir de prédios situados em lugares estratégicos da cidade, dois vídeo-projetores emitem imagens de diferentes protestos ao redor do mundo. O vídeo é editado, em cada caso, de tal maneira que não se expõe a causa  da passeata, para assim problematizar a diferença entre os eventos reais e suas representações.

Intérpretes: Pedro Bennaton and Luana Raiter

Biografia

ErroGrupo Nasceu, em 2001, em Florianópolis, Brasil, da insistência e angústia de seus integrantes em pesquisar a arte como intervenção no cotidiano das pessoas, do espaço urbano, e sua interdisciplinaridade de conceitos e áreas artísticas, refletindo sobre o performer, a invasão do espaço público e a diluição da arte no cotidiano.

Integrante: Ana Paula Cardozo, Julia Amaral y Priscila Zaccaron (Visual  Artists). Luana Raiter, Luiz Henrique Cudo, Michel Marques y Pedro Bennaton (Performing Artists)

ErroGrupo

jp_fpertuz_mundomejor_enc09__0008

Photo/Foto: Julio Pantoja

Um mundo melhor

Acción en espacios públicos (la calle y la red), que recopila propuestas  para obtener un mundo mejor, construir una comunidad y un espacio de intercambio de opiniones, abierto a todo el mundo.

Biografia

Fernando Pertuz é artista, ativista e pesquisador. Realiza ações plásticas e performances que refletem sobre as problemáticas sociais e a condição humana para sensibilizar a comunidade em busca de um amanhã melhor.

Fernando Pertuz

mrudas_gcarreo_kokken_enc09_0001

Photo/Foto: Mateo Rudas

Kokken

O performer caminhará muito lentamente, segurando, na frente dele, um espelho onde os transeuntes poderão dar uma olhada e se verem.

Gonzalo Carreño

ca_comptempus_out-doors_enc09_0015

photo/foto: Cristhian Ávila

Out-doors

Uma ação de intervenção em dança contemporânea que se desdobrou da pesquisa a respeito do “Corpo-Plástico-Objeto-Coisa”. Os Zezas exibem, dissimulam, manipulam, distorcem e subvertem propagandas pílulas do seu “produto-corpo” no meio do trânsito, monumentos, prédios e pessoas. O comportamento variável desses Corpos-plásticos-objetos-coisas  no meio dos outros corpos da cidade leva a Out-doors a discutir configurações complexas que se auto-organizam e estruturam a sociedade, presentes na estética urbana.

 Biografias

Grupo CoMteMpu’s é companhia de dança contemporânea de Salvador da Bahia, Brasil. 

Membros: Sérgio Pereira Andrade, Iara Sales Agra, Eros Santos Ferrerira, Natália Silva Da Matos, Aldren Lincoln Barreto de Almeida, Mariana Pereira Gottschalk Morais, Milianie Lage Matos,

Sérgio Pereira Andrade se formou em Licenciatura em Dança e atualmente é mestrando em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia, Brasil (UFBA).

Iara Sales Agra é éntérprete-criadora, performer, arte-educadora e ilustradora. Formada em Licenciatura em Dança pela UFBA.

Grupo CoMteMpu’s

jp_galvarez_chabochi_enc09_0009

Photo/foto: Julio Pantoja

Chabochi

Chabochi é um conceito Tarahumara/Rarámuri para chamar o Mestiço, aquele que não é igual a ele, aquele que não é daí, ao estrangeiro, aquele que é diferente. A peça apresenta performances surgidas do processo intercultural entre as culturas Rarámuri/Tarahumara e Chabochi (Mestiço-Ocidental) e surge da convivência com a cultura Rarámuri, em Norogachi, na Sierra Tarahumara.

Biografia

Gustavo Álvarez Lugo também é conhecido por seu alter ego Musgus, nasceu na Cidade do México, em 1973 e reside agora em Chihuahua. Estudou antropologia social.  Desde o ano de 2007, ministra oficinas de performance na Sierra Tarahumara com o grupo indígena Rarárumi e na cidade de Chihuahua, nas vilas indígenas.

Gustavo Álvarez Lugo

ca_basaberdallacosta_lapuntada_enc09__0001

Photo/Foto: Cristhian Ávila

A Alfinetada

Um casal de namorados, posando na frente da Casa de Governo, com os seus respectivos trajes, não é notícia. Um casal de namorados, um par de tesouras na mão, recortando pedaços de suas roupas, causa impacto. Movimenta. Gera perguntas. Esta ação provoca  a reflexão a respeito de um tema tão antigo como vigente: os assassinatos de mulheres na América Latina,  a violência, a morte e o desaparecimento.

Biografias

Huaira Basaber é uma artista argentina, professora de artes visuais e atriz. Produz vídeo-arte, intervenções urbanas e instalações. Atualmente trabalha na área de Gestão e Produção Cultural do Ministério de Inovação e Cultura da província de Santa Fe. Docente de Heurística na Universidade de Palermo.

Sebastián Dalla Costa é cozinheiro e padeiro profissional. Começou a apresentar performances em 2008. Apresentou  La Puntada em diferentes partes da Argentina e Peru.

Huaira Basaber and Sebastián Dalla Costa

rta_luisca-enc09_0002

Photo/Foto: Ricardo Torres Ariza

Fazer memória ao andar

O objetivo de Fazer memória ao andar é permitir aos múltiplos participantes reinventar, andando, um antigo caminho indígena que cruza Bogotá. O processo explora as interconexões entre o andar, a memória coletiva e as noções de cartografia.

Biografia

Luis Carlos Sotelo nasceu em Bogotá. Atualmente vive em Londres. Como acadêmico e artista de performance, Luis. C. Sotelo estudou na New York University.

Luis Carlos Sotelo

mrudas_mleao_luto_enc09__0012

photo/foto: Mateo Rudas

Luto

Apresentação da performance, em espaço público, com deslocamento e circulação pela cidade. A proposta é criar um contraponto relacional com o espaço urbano, através de uma figura humana completamente branca, munida de uma bicicleta, com movimentos e tempo muito lentos, e  gerar uma ruptura no tempo-espaço individual dos transeuntes.

Biografia

Maicyra Leão é performer, professora e mobilizadora/produtora cultural. Concluiu o bacharelado em Artes Cênicas na Universidade de Brasília, em 2004, e mestrado na mesma Universidade. Desde então, vem realizando ações artísticas em espaços públicos e desenvolvendo um pensamento reflexivo a este respeito. Atualmente é professora efetiva do Núcleo de Teatro da Universidade Federal do Sergipe.

Maicyra Leão

jp_mvinicius_cuerpo_enc09__0005

photo/foto: Julio Pantoja

Corpo Estranho

Performance interativa cuja proposta é abordar e revelar a confluência entre as práticas artísticas, a experimentação tecnológica e a reflexão crítico-político-social. O artista, com um aparelho tecnológico de som, adaptado para se tornar um corpo estranho, caminha pelas ruas da cidade à procura de relações efêmeras com as pessoas, explorando depoimentos, contatos e reações.

Biografia

Artista/performer, pesquisador e curador independente. Formado em Artes Visuais no Centro das Artes da UFES, Brasil. Atualmente é doutorando em Artes Comtemporâneas da América Latina na Faculdade de Belas Artes da Universidade Nacional de La Plata, Argentina. Mora e trabalha em La Plata, Argentina.

Marcus Vinícius

jp_okan_acciones_enc09__0008

Photo/foto: Julio Pantoja

Série de Performances ao ar livre - Geografias Corporais

Transmissão

A ação é concebido como um exercício no qual se transmite, não uma forma desenhada, mas uma sensação do corpo, e tenta trasladar tal sensação da fisionomia de um suporte a outro. Estabelece-se um paralelo com a corrente que viaja por um cabo. Pretende-se, desta forma, ser um exercício em grupo de concatenização e unificação.

Corpo escrito

Esta é uma caminhada que toma as silhuetas e as sombras das pessoas de sobressalto, deixando um rastro efêmero como uma marca essencial, escrito, e que deixa o corpo no espaço como um livro-memória.

Faz-se caminho

Os integrantes do grupo começam seu caminho pelas ruas como um recepiente de água e panos brancos; recolhem os rastos e limpam os pés e as mãos de todas as pessoas que encontram pelo caminho.

Biografia

Okan é um grupo de criação e pesquisa liderado pelo professor Adrián Gómez e afiliado à Facultad de Artes de la Academia Superior de Arte de Bogotá (ASAB), na Universidad Distrital Francisco José de Caldas. Este coletivo compartilha com outros grupos a preocupação de unir instâncias acadêmicas, como os comitês de criação e de extensão da universidade, e de relacionar linguagens e disciplinas em diálogo com espaços urbanos.

Integrantes: Adrián Gómez, Ginna Alejandra Vélez Carrasco, Edgar Alexander Rodriguez Rodriguez, Juana del Mar Jimenez Infante, Jorge Enrique Bernal Aguilera, Johana Andrea Martínez Ospina, Juan Pablo Beltrán Hilarión , Jennifer Rugelis Charry, Juan Fernando

Okan

12mrudas_pariza_mujeresplaza_enc09__0001

Photo/Foto: Mateo Rudas

Onde estão elas? Memória Viva. Mulheres na praça

Este ato contará com a participação de 300 mulheres, em sua maioria absoluta de vítimas e sobreviventes, que estarão acompanhadas por artistas de teatro e dança; teremos uma presença viva, ativa e poética a partir da estética da resistência. Um grande acontecimento cultural que tornará visível --perante a Colômbia e ao mundo-- o desaparecimento forçado, os assassinatos sistemáticos de líderes políticos no país e de jovens apresentados como "falsos positivos". A memória daquelas e daqueles que desapareceram se fará com uma série de painés sobre os quais estará o vazio que a ausência deles deixou.

(Ver vídeo criado por estudantes da Universidad Nacional—YouTube.)

Biografia

Patricia Ariza é dramaturga, diretora e atriz colombiana. Quarenta anos atrás, fundou o “Teatro La Candelaria” com Santiago García. Atualmente é diretora da “Corporación La Candelaria”, em Bogotá.

Patricia Ariza

mrudas_qbelmont_sintitulo_enc09__0005

Photo/Foto: Mateo Rudas

Sem título

A primeira ação consiste em comer pasto,  fazendo referência à fome. No final da peça, uma oferenda/altar-instalação é construída por todas as pessoas que morreram  ou padeceram de alguma forma devido à fome.

Biography

Quetzal Belmont formou-sem em Ciências da Comunicação pela UNAM.  Suas intervenções já se apresentaram em diversos lugares, incluindo: no Museu da Cidade de México, no Museu Ex-Teresa Arte Atual, Museu do Chopo, Faculdade de Medicina e Ciências Políticas e Sociais da UNAM.

Quetzal Belmont

jp_yruiz_exodo_enc09__0006

Photo/foto: Julio Pantoja

Êxodo

Este projeto propõe uma reflexão corporal sobre o descolamento forçado na Colômbia, evocando, através do facão, o desparecimento do corpo, as valas comuns e o esquartejamento.

Biografia

Yorlady Ruiz é uma poetisa e artista visual de Pereira, Colômbia. Em 2002, recebeu o Prêmio Nacional de Poesia no 7o. Festival de Poesia em Medellin, tendo recebido também o Prêmio de Arte Carlos Drews Castro, em Pereira. Seu trabalho de criação, nas formas de performance e instalação, focam os problemas do gênero e da violência na Colômbia. Já publicou dois livros de poesia, Versos para tu fresca Alborada(1998, Versos para tua fresca Alvorada) e Novela Inconclusa (2001, Romance Não Concluído).

Yorlady Ruiz