Performances

jp alevine refrain enc14 0007 570px

photo/foto: Julio Pantoja

Refrão

Refrain creates a cyclical choreography through the repeated writing of a phrase. These danced refrains produce visual documents that trade legibility for physical accumulation, expanding the original phrases through imperfect repetition. The refrains performed at the Encuentro are noncontiguous excerpts from John Cage's 1951 Lecture on Something, selected after hearing the story of Julius Eastman.

Score: Escreva uma única frase 300 vezes. Comece no mesmo lugar toda vez. Não deixe de tocar a parede enquanto escreve. Não olhe para a parede enquanto escreve. Para marcar cada repetição, mova uma pedra. Estes refrões são fragmentos de slogans políticos dos séculos XX e XXI.

Biografia

Abigail Levine cria obras que combinam os rigores e recursos da especificidade corporal da dança com os experimentos da arte performática com o tempo e a ação humana. Já se apresentou nos E.U.A., em Cuba, na Venezuela, no México, no Brasil e em Taiwan e trabalhou com Marina Abramovic, Carolee Schneemann, Pope.L, Clarinda Mac Low e Mark Dendy.

Abigail Levine: Refrão

dm amiranda papel enc14 0054 570pxphoto/foto: Laura Bluher

Não precisamos de mais papel

A obra é uma crítica à falácia institucional e à burocracia. O corpo é suspenso sobre uma torre de direitos humanos que são violentados diariamente por milhares de cidadãos, especialmente por pessoas com poder político e social.

Biografia

Alexia Miranda (1975), artista multidisciplinar, estudou Literatura, Artes Visuais e Dança Contemporânea no México e em El Salvador. Ensinou em oficinas de performance e recebeu distinções por seu trabalho. Sua obra já foi exposta nos EUA, na América Central e do Sul, no Caribe e na Europa. Dirige o Catapulta Plataforma Cultural Multidisciplinar.

Alexia Miranda: Não precisamos de mais papel

cg awyper witness enc14 0007 570pxphoto/foto: Camilo Godoy

Testemunha

Testemunha é uma performance de 20 minutos para um só espectador por vez, que configura o público como cúmplice de um evento: observadores imparciais “manifestam-se” como testemunhas responsáveis. Juntos, somos desafiados a admitir nossa participação em atos de violência e a enfrentar nossa responsabilidade pelo outro. Então somos exortados a agir.

Biografia

Allison Wyper, artista domiciliada em Los Angeles, dá vida ao espaço performático como local de ação crítica e enfoca a intimidade e sustentabilidade. Artista associada da La Pocha Nostra e membro da Hydra Poesis (Austrália Ocidental), atua nos EUA, Canadá, Alemanha e Austrália. Formação: Estudos Teatrais, Emerson College; Mestrado em Dança, UCLA.

Allison Wyper: Testemunha

lb aluna fear enc14 0021 570pxphoto/foto: Laura Bluher

O que aprendi de uma década de medo
Prestação de contas kármica /ritual interrogatório para expiar uma década de repressão, guerra e paranoia.

Beatriz testa sua amizade com Lyon ao reunir detalhes incriminatórios da sua vida mundana através da confissão, da vigilância e do interrogatório. Será que isso provará a máxima da era da segurança moderna de que todos são culpados de algo?

Biografia

Aluna Theatre cria performances inovadoras e multiculturais sobre artistas latino-canadenses e mulheres artistas. ‘Aluna’ é uma palavra da cultura kogi que refere-se a um mundo interior do espírito e da memória através do qual o mundo exterior que nos rodeia é mantido em equilíbrio. A companhia produz o festival RUTAS Panamericanas em Toronto.

Aluna Theatre: O que aprendi de uma década de medo

jp acorrea confesiones enc14 0011 570pxphoto/foto: Julio Pantoja

Confissões: ação cênica solo de Ana Correa

Ana Correa dialoga com o espectador e compartilha o processo de criação dos seus personagens durante o período de violência política no Peru. Ana nos conecta a uma atriz que assume o teatro como forma de vida, onde a presença e o personagem residem em uma linha estreita, na fronteira entre a ficção e a realidade.

Biografia

Grupo Cultural Yuyachkani. Yuyachkani, palavra quechua que significa “estou pensando, estou recordando”, tem 43 anos de trajetória. Postula um teatro inclusivo, baseado na memória. Suas peças e pedagogia convocam a participação da sociedade e da diversidade cultural peruana, envolvendo a audiência em um ato reflexivo e passional.

Ana Correa: Confissões

cg amaciel bodymanifest enc14 0011 570pxphoto/foto: Camilo Godoy

Manifesto Corporal

Uma narrativa corporal sobre os últimos protestos pelo Passe Livre no Rio de Janeiro. Após as grandes marchas na minha cidade, tive o meu corpo gravado com imagens impossíveis de ser traduzidas em palavras. Esta performance é uma catarse dessa experiência; um espaço aberto para expor a fúria desse corpo público em manifesto.

Biografia

Andrea Maciel, bailarina e professora da PUC-Rio, tem PhD em performance pela UNIRIO e foi pesquisadora visitante da NYU. Sua obra investiga a ressonância física do espaço em paisagens urbanas através da dança, da performance e de instalações. Atualmente, conduz um grupo de pesquisas de pós-doutorado “City’s body writings”, na Bristol University.

Andrea Maciel: Manifesto corporal

jp blundberg lts enc14 0003 570pxphoto/foto: Julio Pantoja

Lundberg/Torres–Sánchez

Lundberg/Torres-Sánchez é uma identidade política de Benjamin Lundberg, reimaginada em três partes. Em contraposição aos paradoxos culturalmente entendidos, a performance reconfigura os rituais religiosos, governamentais, pessoais e sociais que usam o corpo do artista como um filtro para as expectativas e vocabulários comumente definidos.

Biografias

Benjamin Lundberg e Marika Kent criam performance ao vivo juntos. Olhe só pra eles, passeando pela floresta, pata na nadadeira. É por causa dos seus dentes que eles são os "melhores amigos da natureza" (eu escrevi isto para a televisão pública, mas eles me disseram que era ridículo e absurdamente impreciso).

Benjamin Lundberg & Marika Kent: Lundberg/Torres-Sánchez

mrc breadpuppet birdcatcher enc14 0007 570pxphoto/foto: Marlène Ramírez-Cancio

Caçador de pássaros no inferno

Obra Kyogen, ou interlúdio cômico do ciclo japonês Noh, originalmente criada em 1971, em resposta ao perdão concedido pelo Pres. Nixon ao ten. Calley, único soldado americano condenado pelo Massacre de My Lai. Esta tentativa de reconstrução cita ainda a filosofia do Pres. Obama de olhar-adiante-e-não-para-trás quanto aos crimes de guerra e tortura.

Biografia

The Bread & Puppet Theater foi fundado em 1963 no Lower East Side, Nova Iorque, pelo escultor e coreógrafo silesiano Peter Schumann. Seus shows abordam questões sociais, políticas e ambientais ou simplesmente as urgências comuns das nossas vidas. É uma das companhias de teatro sem fins lucrativos e autofinanciadas mais antigas nos Estados Unidos.

Bread and Puppet Theater: Caçador de pássaros no inferno

cg cmartinez gastroeconomy enc14 0055 570pxphoto/foto:Camilo Godoy

Gastroeconomia do novo milênio

Antropofagia gourmet com clara referência a Xipe Tótec, uma deidade asteca que arrancou a própria pele para alimentar a humanidade e salvá-la da inanição. O público comensal presente nesta “performanceia” esfolará o artivista Orgy Punk, que estará vestido e forrado de um delicioso presunto serrano Gran Reserva.

Biografia

César Martinez é um artista indisciplinar. Sua obra tem se baseado em diversos suportes conceituais e técnicos, desde o uso da pólvora e da dinamite até o uso do chocolate e da gelatina. Já se apresentou por todo o mundo. Tem um Ph.D. em Arte e Pesquisa da UCLM, Espanha. Colabora com o performer artivista Orgy Punk.

César Martínez: Gastroeconomia do novo milênio

cg cbrault coat enc14 0007 570pxphoto/foto: Camilo Godoy

El Abrigo de Maria Teresa (Maria Teresa's Coat)

This commemorative ritual marks the 40th year after the Chilean coup d’état, in which several women disappeared. The performance is a gesture of solidarity to pay tribute to María Teresa Bustillos and all the women who believed in their ideals. Never forget. This action seeks to reconstitute a collective memory around these disappearances.

Biografia

Christine Brault vive e trabalha em Montreal, no Canadá. Artista de performance e de arte relacional, recebeu bolsas do Canada Arts Council e do Conseil des arts et lettres du Québec e já apresentou a sua obra em vários países pelas Américas, na China e na Europa através de residências artísticas e de festivais internacionais de performance.

Christine Brault: El Abrigo de Maria Teresa

cg cmoore cuddle enc14 0001 570pxphoto/foto: Camilo Godoy

Cuddle Commandos

The Cuddle Commandos project focuses on the transformative relationship between humour and social activism, incorporating satire, subversion, and parody as a means to address broader cultural concerns. The Commandos challenge traditional militaristic codes that connote power, hyper-masculinity, nationalistic honour, and absolute authority.

Biografia

Christopher Moore é professor adjunto do Departamento de Design e Artes da Computação da Concordia University. Sua pesquisa multidisciplinar e seus interesses como docente enfocam o uso do humor como forma de resistência social. Já participou de diversas residências artísticas, amostras e conferências internacionais.



Christopher Moore: Cuddle Commandos

lb chcdong 12years enc14 0013 570pxphoto/foto: Laura Bluher

Os doze anos perdidos

Os doze anos perdidos Ajoelho-me numa obra de arte tradicional chinesa, atirando tinta sobre mim. Esta performance é um pedido de desculpas pela minha ausência de doze anos da cultura que me formou. Batizo-me com tinta chinesa para salvar-me do medo da perda, preservar minha identidade num processo de auto-transformação e capturar minha alma errante numa terra alheia.

Biografia

Chun Hua Catherine Dong ,artista canadense nascida na China, com mestrado em Artes da Concordia University, já atuou nacional e internacionalmente na Kaunas Biennial; no Festival Infr’Action, Itália; no Festival für Performance, Alemanha; e no Place des Arts, Canadá. Sua pesquisa tem apoio do Canada Social Sciences and Humanities Research Council.

Chun Hua Catherine Dong: Os doze anos perdidos

jp carnar pasos enc14 0038 570pxphoto/foto: Julio Pantoja

Passos de memória

O objetivo desta performance é reposicionar temas, a partir da recordação, no contexto da crise econômica dos anos 30—situação que configurou um relato no tempo, marcado pelo despojo e pela apropriação por parte das grandes multinacionais, como a Duncan Fox, a Grace & Cia, a Weir Minerals e a atual Barrick Gold.

Biografia

Colectivo CARNAR são: Gonzalo León Rabanal, pai e avô, que se inicia na arte da performance a partir do trabalho "Mal decir la letra”; Valeria León Ibáñez, filha e neta, formada em Artes Visuais; e Bernardo León Gómez (Gonzalo Rabanal), filho e pai, cuja formação é em Comunicação Áudio-Visual e bacharelado em Artes.

Colectivo CARNAR: Passos de memória

jp concordiacantata missing enc14 0002 570px NEWphoto/foto: Julio Pantoja

Cantata para mulheres desaparecidas

Cantata para mulheres desaparecidas é um excerto da peça Attawapiskat is no Exception, em que os membros de uma comunidade do norte são evacuados e relocados para uma cidade grande. Lá chegando, escutam as vozes das mulheres aborígines desaparecidas e assassinadas, pairando pelas ruas da cidade, exigindo um espaço nas mentes dos espectadores.

Biografia

Concordia Cantata, Odaya é um grupo de cantores e percussionistas aborígines que colaboram com a “Cantata for Missing Women”. Texto de Floyd Favel, composto por Ralph Denzer, interpretado por Anik Sioui e Emilie Monnet, com o conjunto "Attawapiskat is No Exception", dirigido por Ursula Neuerburg-Denzer.

Concordia Cantata and Odaya: Cantata para mulheres desaparecidas

cg dembree veil enc14 0007 570px
photo/foto: Camilo Godoy

Véu

Véu é uma série de ações privadas entre o artista e um espectador dentro de um santuário de linho branco. Cada interação é única e espontânea. O artista busca obscurecer a linha que divide a religião da arte ao apropriar-se de rituais da sua herança. Ele não reencena rituais sagrados; ao invés disto, toma emprestado seus gestos e os reinventa.

Biografia

Daniel Embree tem bacharelado em Belas Artes da Brigham Young University, Utah (2009) e mestrado em Belas Artes da Tufts University (2013), em convênio com a School of the Museum of Fine Arts, Boston. Sua obra está exposta em espaços de arte por toda a Nova Inglaterra, inclusive na 13 Forest Gallery em Arlington, MA. Vive em Massachusetts com seu esposo.

Daniel Embree: Véu

dm ciervo mulo enc14 0120 570px
photo/foto: Marlène Ramírez-Cancio

Rapsódia para o mulo

Inspirado no poema homônimo de José Lezama Lima, a performance é apresentada como um doloroso ritual do fastio e da injustiça. Convertido em um animal ignaro de carga, o ser humano acumula os dejetos de um passado diante do qual já não há esperanças.

Biografia

El Ciervo Encantado foi fundado em Havana em 1996, fruto da experiência artística e pedagógica da atriz e diretora Nelda Castillo. Desde sua criação, tem explorado a memória cultural de Cuba e confrontado sua realidade com uma linguagem cênica singular, através de peças teatrais, performances e intervenções públicas.

El Ciervo Encantado: Rapsódia para o mulo

dm emehrmand saffron enc14 0009 570px
photo/foto: Laura Bluher

[saffron_test.]

Esta performance ocorre dentro do espaço especulativo de um laboratório etnodisfórico. A cientista testa as propriedades do açafrão [afrodisíaco/antidepressivo], ingerindo uma poção de açafrão enquanto canta em um idioma meio persa, dando origem a uma medicina escapista caseira que anseia dissipar o terrorismo através de atos de desejo.

Biography

Elle Mehrmand é uma artista performática e música domiciliada em Los Angeles que usa o corpo, os eletrônicos, o vídeo, o som e a instalação no seu trabalho. Concluiu um mestrado em Belas Artes pela UCSD em 2011 e é membro do coletivo Electronic Disturbance Theatre 2.0 e também do KILLSONIC, um grupo de som e performance experimental.

Elle Mehrmand: [saffron_test.]

jp esinverguenza transhorror enc14 0003 570px
photo/foto: Julio Pantoja

Trans-Horror: alteração de uma cosmovisão indígena

Um ataque terrorista contra as interpretações de beleza hegemônicas hetero e homo. Através do horror e da asfixia, eu crio uma pessoa híbrida, que fala sobre as normas de beleza que ultrapassam fronteiras culturais e voltam-se para uma cosmovisão indígena nicaraguense.

Biography

Elyla Sinvergüenza é um intelectual orgânico, um artista de performance transgênero e um terrorista do gênero. Usa seu corpo como tela para criar e fundir arte e política, gerar intervenções e introduzir sua teoria nas lacunas da sua audiência. Teoriza, gera o raciocínio e atua sobre as expressões de gênero e sexualidade em Manágua, Nicarágua.

Elya Sinvergüenza: Trans-Horror: alteração de uma cosmovisão indígena

lb eventual whispergarden enc14 0002 570px
photo/foto: Laura Bluher

O jardim dos sussurros

Se você tivesse a oportunidade de dar um tesouro aos seus futuros tatatatataranetos/sobrinhos, o que seria? O jardim dos sussurros é, em parte, uma instalação-performance mágica e, em parte, um teatro de imersão de local específico que nos permite encontrar e descobrir os nossos tesouros.

Biografia

O jardim dos sussurros Se você tivesse a oportunidade de dar um tesouro aos seus futuros tatatatataranetos/sobrinhos, o que seria? O jardim dos sussurros é, em parte, uma instalação-performance mágica e, em parte, um teatro de imersão de local específico que nos permite encontrar e descobrir os nossos tesouros.

Eventual Ashes: O jardim dos sussurros

dm gstamos nunounenon enc14 0006 570px
photo/foto: Laura Bluher

Nonounenon

Com Nunounenon, os colaboradores buscam abrir um novo espaço de diálogo e promover abordagens alternativas do gênero e das dinâmicas de poder na dança contemporânea. Revirando clichês, a obra revela o absurdo dos corpos hiper-sexualizados e as discrepâncias entre o idealismo e a realidade e afirma o direito de todos os corpos de deter o poder.

Biografia

George Stamos é um coreógrafo domiciliado em Montreal, conhecido por suas criações transdisciplinares que são, ao mesmo tempo, fisicamente dinâmicas, ritualísticas e intelectualmente estimulantes. As políticas do gênero e a crença de que mente e corpo são aspectos de um organismo consciente têm sido temas subjacentes em sua pesquisa artística.

George Stamos: Nunounenon

ln gulysse voodoo enc14 0016 570px NEWphoto/foto: Lorie Novak

(10) The Voodoo

Este projeto busca reinscrever e reativar o poder das quatro letras “O” da palavra voodoo. É assim que se escreve em inglês. A performance consiste em perspontar inúmeras referências históricas desta palavra em vermelho, em diversos tamanhos, em um vestido que um dia pertenceu à minha mãe e à minha falecida avó.

Biografia

Gina Athena Ulysse está atualmente desenvolvendo sua meditação de vanguarda, VooDooDoll, What If Haiti Were a Woman, On ti Travay sou 21 Pwen. Ela é a autora de Downtown Ladies (Chicago 2008) e de Why Haiti Needs New Narratives. É professora adjunta de Antropologia da Wesleyan University. 

 

Gina Athena Ulysse: (10) The Voodoo

jp gamani hr enc14 0002 570px
photo/foto: Julio Pantoja

Human Resources for Humans

Human Resources for Humans appropriates an HR framework (a tool for the administration of human capital) to generate discussion around labour, exploitation, class, and unemployment. In the context of the Encuentro, HR4H will identify and respond to the power dynamics present among the participants, organizers, and outsiders of the event.

Biografias

Golboo Amani é uma artista cujo enfoque são as práticas pedagógicas alternativas, os sistemas de intercâmbio democrático e as configurações de poder na produção do conhecimento. Maggie Flynn é organizadora, artista e curadora. Sua produção artística é diretamente influenciada por sua participação em movimentos de base e seu trabalho comunitário.

Golboo Amani/Maggie Flynn: Human Resources for Humans

lb grasua vencer enc14 0005 570px
photo/foto: Laura Bluher

Cuánto encontramos para vencer

Making our own path with our own inner light is the only way to get joyful results. In order to represent this state of being, she performs the image titled “Cuánto encontró para vencer” by Cuban artist Marta María Pérez Bravo. This performance is a magical coexistence of religious and artistic universes.

Biografia

Grethell Rasúa (Havana, 1983) é uma artista diplomada da Cátedra de Arte de Conducta (Instituto Superior de Arte, Cuba). Sua principal estratégia artística consiste em inserir-se em diferentes ambientes sociais para assim interagir, sem mediadores pré-estabelecidos, com seus habitantes.

Grethell Rasúa: Cuánto encontramos para vencer

dm innerfish phoning enc14 0055 570px
photo/foto: Laura Bluher

Aparatos portátiles: telefonia

Este é o mais recente trabalho de uma série do Inner Fish, em que os artistas usam somente máquinas portáteis movidas a pilhas ou a humanos. Utiliza o smartphone para inverter as dinâmicas comuns da distância criada em uma cultura intermediada por telas. As performances são momentos de 5 minutos em um closet portátil com um transeunte aleatório.

Biografia

Inner Fish é uma companhia interdisciplinar de performance de Kelowna, B.C. que cria turnês de performances e intervenções públicas. Em Phoning, os diretores artísticos Neil Cadger e Denise Kenney colaboram com o escritor Michael V. Smith. A companhia oferece oportunidades educativas e profissionais para artistas interdisciplinares emergentes.

 

Inner Fish: Aparatos portátiles: telefonia

cg jesusa juana enc14 0070 570px
photo/foto: Camilo Godoy

Juana La Larga

Juana La Larga, um caso de hermafroditismo descrito pelo Dr. Narciso Esparragosa (Guatemala, 1803), serve de base para este espetáculo-pesquisa sobre o corpo e as formas de erotismo que não se amoldam à sociedade patriarcal. A violência contra o corpo feminino continua sendo uma realidade brutal no primeiro, no terceiro e no último dos mundos.

Biografia

Jesusa Rodríguez (1955, Mexico) é uma criadora cênica dedicada à sátira política, ao teatro, à ópera, ao artivismo e à desobediência civil. Liliana Felipe (1954, Argentina) é compositora, pianista e cantora independente. Ela própria se define como: impía, herege, clerofóbica, anti-tourada, libertina, rebelde, menopáusica e ateia.

Jesusa Rodríguez and Liliana Felipe: Juana La Larga

jp jrojas oracle enc14 0011 570px
photo/foto: Julio Pantoja

Oráculo das tortilhas

Oráculo das tortilhas é uma performance participativa, baseada em antigas formas maias e astecas de adivinhação chamânica, atualizadas para a forma contemporânea. Envolve ritual, espaço sagrado, intuição e uma relação de trocas entre artista e participantes. Leio as tortilhas das pessoas como alguém poderia ler cartas de tarô ou folhas de chá.

Biografia

Jorge Rojas é um artista multidisciplinar, curador independente e educador de arte. Rojas cria performances socialmente embasadas, interativas e participativas, que investigam os processos e sistemas envolvidos na comunicação. Sua obra e seus projetos curatoriais já foram exibidos mundialmente, em galerias e museus.

Jorge Rojas: Oráculo das tortilhas

mrc jpantoja tucuman enc14 0133 570px
photo/foto:Marlène Ramírez-Cancio

Tucumán me mata. Ação nº 2 (do pó viemos)

O terrorismo de Estado nos levou trinta mil. Procuramos por eles durante anos. Seus ossos surgem como testemunhas mudas de vidas truncadas, para apontar seus assassinos. Neste enterro virtual, buscamos refletir sobre o fim de um ciclo que começa com as desaparições forçadas e que está acabando, quarenta anos depois, com a punição dos perpetradores.

Biografia

Julio Pantoja é fotodocumentalista, jornalista, ativista e docente-pesquisador das Universidades Nacionais de Tucumán e Rosario. Dirige a agência Infoto e a Bienal Argentina de Fotografia Documental. Palestrou em eventos acadêmicos e culturais em países da Europa e América e expôs suas fotografias em mais de 15 países.

Julio Pantoja: Tucumán me mata. Ação nº 2 (do pó viemos)

jp kgrey homage enc14 0008 570px
photo/foto: Julio Pantoja

Homenagem

Homenagem é um ato de agenciamento corporal do gênero queer. É uma oferenda de vulnerabilidade. A obra abre feridas já cicatrizadas no meu corpo, para reativar a energia psíquica armazenada ali e para convidar a audiência a erradicar as fronteiras entre nós.

Biografia

Kris Grey/Justin Credible , artista domiciliado em Nova Iorque, questiona os sistemas de poder pela lente do gênero. Sua obra situa-se na interseção entre a comunicação, o ativismo, o desenvolvimento comunitário, a contação de estórias, a palestra e a produção em estúdio em mídias bidimensionais, tridimensionais e baseadas no tempo.

Kris Grey: Homenagem

cg lkramer ngs enc14 0002 570px
photo/foto: Camilo Godoy

NGS (“Native Girl Syndrome”)

A nova criação de Lara Kramer, NGS (“Native Girl Syndrome”), é uma imersão na cultura de rua, conforme representada na performance teatral crua de Karina Iraola e Angie Cheng. Seus personagens, drogados e dissociados, conduzem o público a uma dinâmica jornada de vício, perda e alienação.

Biografia

Lara Kramer é diretora artística e coreógrafa do Lara Kramer Danse, em Montreal. É uma artista indígena First Nation (das “Primeiras Nações”) cuja obra está intimamente ligada à memória e a suas raízes aborígines. Sua obra é política e potente e muitas vezes examina temas políticos envolvendo a população canadense e os povos das Primeiras Nações.

Lara Kramer: NGS ("Native Girl Syndrome")

dm herencias yemayo enc14 0010 570px
photo/foto: Laura Bluher

Yemayo (coreografia de Julio Hong)

Um orixá é um ser espiritual, uma manifestação de Olofi. Yemaya é a força maternal da vida e da criação. Mas poderíamos encontrar seus atributos num homem? Esta coreografia abala noções de masculinidade que permeiam a cultura hispano-canadense com o movimento contemporâneo, o balé, a dança folclórica cubana, a música, a religião e rituais diários.

Biografia

Le Groupe Herencias produz obras coreográficas profissionais e usa a arte na educação, no treinamento e na intervenção terapêutica para a promoção, o intercâmbio e a aceitação da herança cultural. A equipe, liderada por Farah Fancy (diretora) e Julio Hong (diretor artístico), usa a arte para ampliar a competência intercultural e o capital social.

Le Groupe Herencias: Yemayo (coreografia de Julio Hong)

lb lmoise ache enc14 0026 570px
photo/foto: Laura Bluher

Ache what Make

Ache What Make funde poesia urgente, teatro ritual e canto para refletir sobre o desastre, a dignidade e o amor que desafia a morte. Esteja ela falando sobre o pós-terremoto no Haiti, invocando Jean-Michel Basquiat ou relatando seu confronto com um skinhead num trem urbano lotado, Moïse atesta sua teimosa compaixão e vontade lúdica de viver.

Biografia

Lenelle Moïse cria performances politizadas e cheias de jazz sobre a identidade haitiana-americana e a interseção entre raça, classe, gênero, sexualidade, memória e magia. Dramaturga afiliada da Huntington Theatre Company, suas peças e performances solo incluem MERIT, EXPATRIATE e WOMB-WORDS, THIRSTING. É autora de HAITI GLASS.

Lenelle Moïse: Ache what Make

lb mjcontreras amnesia enc14 0019 570px NEW
photo/foto: Laura Bluher

Nossa Amnésia

A performance investiga o vínculo entre os espaços em branco da memória pessoal da performer e a amnésia política no Chile. A obra situa-se nas zonas turvas de um esquecimento que passa de geração a geração: aquilo que não pode ser dito, que não se pode recuperar, que nunca foi dito.

Biografia

María José Contreras Lorenzini é artista performática, diretora do Teatro de Patio e professora da Escola de Teatro da Pontificia Universidad Católica de Chile. Seu trabalho oscila entre a pesquisa acadêmica e a produção artística, estudando e explorando criativamente a relação entre o corpo, a memória e a performance.

María José Contreras Lorenzini: Nossa Amnésia

cg mkefirova corps enc14 0009 570px
photo/foto: Camilo Godoy

CORPS.RELATIONS

A peça CORPS.RELATIONS é um dueto entre o meu corpo e a minha cabeça. A obra explora o vão que existe entre a representação lógica da realidade e a encorporação imediata dos impulsos, criando uma ilusão absurda de união.

Biografia

Maria Kefirova é uma artista performática e criadora de performances nascida na Bulgária e domiciliada em Montreal desde 1992. Paralelamente ao seu trabalho como artista performática, ela tem desenvolvido a sua própria prática artística, combinando a dança, o teatro, a performance e o vídeo.

Maria Kefirova: CORPS.RELATIONS

dm infrarouge darkness enc14 0010 570px
photo/foto: Laura Bluher

A escuridão

Homenagem aos artistas, A escuridão mostra o despejo de um grupo deles de um prédio industrial no centro de Montreal. Nesta peça, cuja ação ocorre em qualquer cidade grande em qualquer lugar do mundo, amigos se separam, espíritos vagam a esmo em lugares desertos e há mensagens escondidas atrás das paredes para os arqueologistas do futuro.

Biografias

Marie Brassard é atriz, autora e diretora. É reconhecida como uma voz singular no teatro contemporâneo e aclamada em muitas cidades por todo o mundo. Alexander MacSween é músico, compositor e designer de som. Cria instalações sonoras e compõe música para a dança, o teatro e o cinema.

 

Marie Brassard and Alexander MacSween (Infrarouge): A escuridão

cg mewe mewe enc14 0005 570px
photo/foto: Camilo Godoy

MEWE

What makes someone break their inertia and take collective action? What can destabilize a body and generate a desire for movement? How is affect able to open up the body to the world, provoking a movement of contagion and contamination between bodies, so as to create a social choreography?

Biografia

MEWE é um grupo de performers independentes cujos membros podem eventualmente mudar. Para essa intervenção em Montreal nós somos: Angela Ferreira, Giselle Ruiz e Virginia Van Der Linden. Nos últimos dois anos, o grupo tem investigado possibilidades de empatia cinestésica e de identificação corporal como recursos utilizados na performance de grupo.

 

MEWE: MEWE

Pág. 1 de 2