quarta-feira, 11 setembro 2019 16:29

Vídeo completo de 14 de junho Trasnocheo

Apresentada por Las Reinas Chulas, esta noite contou com performances de Free, Mon and Jinks, Las Pussy Queers (As duas Fridas & Nem uma a menos), Kairiana Núñez, Erica Islas, and Mariano Ruiz.

Published in Trasnocheo
quarta-feira, 11 setembro 2019 15:46

Vídeo completo de 13 de junho Trasnocheo

Apresentada por Las Reinas Chulas, esta noite contou com performances de Elyla Sinvergüenza, Alexis O'Hara & 2boys.tv e Pacha Queer.

Published in Trasnocheo
quarta-feira, 11 setembro 2019 15:27

Vídeo completo de 10 de junho Trasnocheo

Apresentada por Las Reinas Chulas, esta noite contou com performances Compañía CroMagnon, Bocabilidades, La Bruja de Texcoco e Teatro Breve.

Published in Trasnocheo
quarta-feira, 11 setembro 2019 15:14

Vídeo completo de 11 de junho Trasnocheo

Apresentada por Las Reinas Chulas, esta noite contou com performances de Jess Dobkin, Teatro Breve, Mahina Movement e Héctor Canonge.

Published in Trasnocheo
quarta-feira, 11 setembro 2019 14:49

Vídeo completo de 10 de junho Trasnocheo

Apresentada por Las Reinas Chulas, esta noite contou com performances de Pancho López, Aliza Shvarts, Andrés Carreño, and Kegels for Hegels.

Published in Trasnocheo
quarta-feira, 11 setembro 2019 13:36

Las Pussy Queers: Nem uma a menos

Nem uma a menos

Biografia

Las Pussy Queers é um grupo formado por Irakere Lima (atriz) e Larissa Polaco (produtora). Em 2016, decidiram unir suas habilidades de atuação e de produção para despir-se de corpo e alma. Já se apresentaram no Festival Internacional de Cabaré nas edições XIV, XV e XVI e no primeiro Festival Tiempo de Mujeres da Cidade do México em 2019.

Published in Trasnocheo
quarta-feira, 11 setembro 2019 11:17

Teatro Breve: Luna e Vecky

Luna e Vecky

Biografía

Teatro Breve é uma companhia portorriquenha de comédia com estilo irreverente. O conteúdo que apresenta é original.

Published in Trasnocheo

Descrição:

A partir de 22 de fevereiro de 2019, a proibição absoluta da maconha no México foi declarada inconstitucional pela Corte Suprema de Justiça da Nação e, atualmente, debate-se um projeto de lei no Congresso Nacional para a regularização da canábis. Embora o trabalho legislativo esteja bem encaminhado, está claro que muitos dos desafios apresentados por esta alteração legal residem no âmbito cultural, particularmente na estigmatização sofrida tanto pelos consumidores da maconha quanto pelos camponeses que trabalham no seu cultivo. Um grupo de artistas mexicanos, em colaboração com o Instituto Hemisférico, está desenvolvendo uma campanha que utilizará o humor e a arte para mudar essas percepções e atitudes estigmatizantes, utilizando caricaturas e animações que serão disseminadas na Cidade do México e em todo o país por meio dos sistemas de transporte público e diversas secretarias governamentais.

Coordenadorxs:

Jesusa Rodríguez (México, 1955) é criadora cênica. De 1980 a 2018, dirigiu e atuou em ópera, teatro e espetáculos de farsa política. Desde dezembro de 2018, é Senadora da República Mexicana. Seu maior sucesso foi, e ainda é, acumular desprestígio. Ganhadora do prêmio de melhor atriz, Montreal, 1989 e do Obie Award, com Liliana Felipe, NY, 2000.

Diana Taylor é professora de Estudos da Performance e de Espanhol na New York University. Ela é uma autora premiada de diversos livros, dentre eles: Theatre of Crisis (1991) [Teatro da crise], Disappearing Acts (1997) [Desaparecimentos], The Archive and the Repertoire (2003) [O arquivo e o repertório] e Performance (2016). Seu novo livro, ¡Presente! The Politics of Presence [Presente! A política da presença] será lançado em breve pela Duke University Press. Taylor é diretora do Instituto Hemisférico de Performance e Política, o qual ela ajudou a fundar, em 1998. Em 2017, Taylor foi presidente da Modern Language Association e foi recentemente eleita para a American Academy of Arts and Sciences. Em 2018, foi admitida na American Academy of Arts and Science.

Participantes:

  • Julio Glockner
  • Zara Snapp
  • Jorge Hernández Tinajero
  • Rafael Pineda (Monero Rapé)
  • Marlène Ramírez-Cancio
Published in Grupos de trabalho
domingo, 09 junho 2019 07:48

Espaço público, riso, ativismo

Este painel explora distintas abordagens sobre o uso do humor e do riso como ferramenta ativista, navegando pelas particularidades desse uso no espaço público.

Biografias

Jacques Servin iniciou a sua atual fase adulta inserindo uma multidão de homens beijando-se num videogame de tiroteio momentos antes de o jogo ser enviado para as prateleiras das lojas. Despedido e momentaneamente famoso, ele optou por ingressar no ativismo queer. Desde entāo, como cofundador do Yes Men (www.theyesmen.org), ele tem trabalhado para entidades como a Exxon, a Dow, a Monsanto e a Câmara de Comércio dos Estados Unidos, bem como para o New York Times, New York Post e Washington Post, tudo sem a aprovação das mesmas.

Ana Francis Mor (Ana Francis López Bayghen Patiño) nasceu na Cidade do México em 11 de julho de 1973. É formada em Atuação pelo Foro Teatro-Contemporáneo e em Artes Cênicas para a Expressão Teatral pela Universidad de Guadalajara. Ganhadora da Medalla Omecihuatl 2011 por seu trabalho artístico e como ativista feminista LGBTTTI. Cofundadora da companhia “Las Reinas Chulas”, que conta com mais de 50 espetáculos em seu currículo. Ao final de 2014, a companhia recebeu a Medalla del Mérito a las Artes, outorgada pela Assembleia Legislativa da Cidade do México por mais de quinze anos dedicados à promoção da cultura na capital do país.

Arturo Hernández, nascido na Cidade do México, é o mentor por trás do conceito de Supercívicos. É um verdadeiro “chilango”. Um dos primeiros VJs da MTV Latinoamérica. Trabalhou para a Sony Entertainment Television e para o Discovery Channel antes de gerar o seu próprio conteúdo. Sua companhia produtora foi responsável pela produção do primeiro ROAST para o Comedy Central Latinoamérica, com o ator Hector Suárez. “Houston, Temos Um Programa” foi um dos formatos desenvolvidos por sua equipe, da qual se desprendeu a seção “Los Supercívicos”, que tem se destacado na internet depois que o programa foi cancelado por seu alto teor de crítica política. @arturoelpantera.

Marlène Ramírez-Cancio (Moderadora) é diretora associada de Artes & Mídia no Instituto Hemisférico de Performance e Política. Em sua posição, ela chefia a curadoria e produção dos grandes Encuentros; também faz a curadoria do HIDVL, uma crescente biblioteca de vídeo digital que arquiva e circula o trabalho de artistas politicamente engajados; dirige o EMERGENYC, o programa para artistas emergentes do Hemi, focado em arte e ativismo; iniciou e comanda as residências artísticas do Hemi para artistas locais; e co-criou iniciativas como a Helix Queer Performance Network, voltada para artistas queer e racializados, e incentivando mentoria intergeneracional.

Published in Round Tables
Pág. 1 de 18