terça-feira, 07 maio 2019 14:43

ERRO Grupo: 24° Debate Púbico/Desnudo Àgora

24° Debate Púbico/Desnudo Àgora

2016: golpe midiático-legislativo-parlamentar no Brasil, ERRO realiza 23º Debate Público/Jogo Àgora.

2019: Encuentro, ERRO propõe uma autoparódia - 24º Debate Púbico/Desnudo Àgora. Em nossas roupas, ou não, em um debate em praça pública, falando nus sobre política, ou desnudando a política em debate público em um lugar púbico, embora mais público.

Biography

O ERRO Grupo é um coletivo sediado em Florianópolis que experimenta a arte como intervenção no cotidiano, usando as ruas como campo de ação. Com 18 anos dedicados ao teatro de rua e à performance, o ERRO pesquisa sua diluição e interferência na cidade através da criação de possíveis situações e relações entre as pessoas que circulam nas ruas.

Falar até o seu limite legal

Falar até o seu limite legal é uma paisagem sonora performática móvel. Com uma armadura de sintetizadores portáteis e transmissores FM de curto alcance, Gambletron fala em rádios manipuladas por Johnny Forever. A dupla desenvolve a transmissão de lados opostos do Zócalo, apontando os limites do acesso público ao evocar a plataforma de rádio pirata.

Biografia

Gambletron e Johnny Forever colaboram em ambientes performáticos de imersão e interação, explorando a resistência queer através da radiodifusão. Usando emissões FM ao vivo, eles ampliam os espaços públicos e criam um diálogo entre espectador e performer. Seu estilo mistura heavy beats e paisagens sonoras de zumbidos com elementos de cabaré queer.

terça-feira, 07 maio 2019 14:43

Cosmocoka: Primitivismo barrebiesco

Primitivismo barrebiesco

Esse corpo nu que caminhará pela rua usa uma máscara primitiva e carrega um espelho, aproximando-se dos espectadores. Enquanto ri, caminhando sedutoramente, mostra a vulnerabilidade e o nervosismo desse corpo, que se aproxima dos homens, mostrando a parte espectral da bela imagem e como pode ser monstruosa a vulnerabilidade.

Biografia

Cosmocoka é artista visual formada pela Faculdade de Artes da Universidad de Nariño, especialista em Produção Pictórica e Novas Mídias, atualmente cursa um mestrado em Artes Latino-Americanas na Universidad Nacional de Avellaneda (UNDAV). Nascida em Pasto, Colômbia, pertence à comunidade indígena quillasingas e atua como performer há mais de 9 anos.

terça-feira, 07 maio 2019 14:05

Carmen Ixchel Maya: Baile da precisão

Baile da precisão

O corpo é manipulado como se fosse um objeto regular e estável, portanto as atividades do nosso corpo, os tempos e até às nossas necessidades físicas acabam girando em torno das necessidades de um sistema neoliberal. O Baile da precisão é um baile pela incerteza, pela precariedade trabalhista e pela condição econômica do próprio artista.

Biografia

Carmen Ixchel Maya (Cidade do México, 1994) desenvolve o seu trabalho no campo da performance e da imagem em movimento. Sua obra tem enfocado a pesquisa sobre como as imagens que circulam na rede permeiam e influenciam o modo como nos movemos. Interessada em experimentar desde a expressão corporal até o conceito de arquivo e a reapropriação.

terça-feira, 07 maio 2019 13:58

soJin Chun: Tamales Aturquezados

Tamales Aturquezados. Foto fornecida pela artista.

Tamales Aturquezados

Tamales Aturquezados é parte de Aturquesada, um projeto com base em performance no qual eu vendo e/ou troco vários objetos de cor turquesa em espaços públicos onde há a presença de atividades econômicas informais. Enquanto “atuo” nesta intervenção artística, eu envolvo o público numa conversa para negociar o valor dos tamales aturquezados.

Biografia

soJin Chun é uma artista visual domiciliada em Toronto. Sua obra explora as narrativas que emergem entre culturas, influenciada por suas experiências vivendo na diáspora coreana na Bolívia e Canadá. Através de residências artísticas internacionais, exibições e mostras de cinema, Chun tem compartilhado a sua obra em vídeo, instalação e performance.

Day for night: a noite mexicana. Foto fornecida pelo artista.

Day for night: a noite mexicana

“Day for night” é uma técnica cinematográfica tradicional que permite gravar cenas noturnas durante o dia, e isso até inspirou um filme Truffaut: “The American Night”. Neste app-performance, o artista compartilhará sons que caracterizam a vida noturna LGBT do CDMX. A ação será feita durante o dia, via WhatsApp.

Biografia

Rodrigo Arenas-Carter é um artista e escritor migrante, mestre em Literatura. Obteve bolsas de estudo como Fondart-Chile, Residency for the ‘Migrant Experience’ (Canadá) e Experimenta/Sur. Em 2018, seu livro La Vital Precariedad. Poesía y Performance en América Latina y Chile (A precariedade vital: Poesia e performance na América Latina e Chile) foi publicado na Europa pela EAE.

terça-feira, 07 maio 2019 13:58

Mitchell Oliver: Ar morto

Ar morto. Foto fornecida pelx artista.

Ar morto

Ar morto constrói performances a partir da distribuição de ondas de rádio locais. Caminhando ao longo das fronteiras em busca de frequências específicas, eu espalhei os sons do ambiente imediato ao vivo. Receptores na área, bem como rádios de carros e das casas, captam a transmissão e criam um breve concerto de gravações de campo, ruídos e feedback.

Biografia

Mitchell Oliver é um artista que usa imagem em movimento, som, instalações e performance para afirmar o valor da experiência duracional e incorporada como métodos de existência crítica. Criado no sudeste dos EUA, Mitchell exibe sua obra em refrigeradores, festivais de cinema, livros, florestas, lixões, museus e desertos pela América do Norte.

Cartografias do crack

Este projeto tem a intenção de modificar as noções sociais que cercam a pedra (bazuco ou crack), utilizando o comércio itinerante como ponte de discurso. Através de uma turnê, uma peça sonora é exposta e folhetos são distribuídos sobre a experiência do habitante de rua com a pedra, bem como uma instrução cáustica.

Biografia

Miguel Ángel González Merchán é um artista colombiano que usa a arte como desculpa para alcançar reflexões relacionadas à identidade e ao poder. Tenta fissurar o contexto através da sátira. Sua linha de trabalho é baseada na desconstrução da identidade a partir de uma perspectiva sociopolítica. Trabalha atualmente como assistente de produção na PerfoArtNet.

terça-feira, 07 maio 2019 13:56

Marton Robinson: Organegreros

Organegreros. Foto fornecida pelx artista.

Organegreros

A performance explora as variantes da máscara e suas aplicações, numa correlação com os esforços pós-coloniais. Máscaras e/ou mascaramento do corpo remetem à problemática histórica, incluindo, mas não se limitando a, rituais sociais de escárnio na forma de vergonha pública, práticas etnológicas e assimilação.

Biografia

Marton Robinson (Costa Rica/EUA) pesquisa modos de comunicação e tradução, de história e cultura, que desafiam as representações e pressupostos da cultura popular. O trabalho de Robinson expõe as nuances presentes na experiência afro-latina, enriquecendo o discurso crítico das obras contemporâneas da diáspora africana.

terça-feira, 07 maio 2019 13:56

Colectivo SURCO: Frequência ocupada

Frequência ocupada. Foto fornecida pelx artista.

Frequência ocupada


Frequência ocupada é uma intervenção na paisagem sonora da vida cotidiana que emprega a rádio para explorar a relação entre comunicação, comunidade e o comum.

Biografia

O Colectivo Surco é um grupo transnacional composto por pesquisadores, comunicadores de rádio e artistas vinculados à organização Servicios Universitarios y Redes de Conocimientos de Oaxaca, S.A. (SURCO) e envolvidos em atividades de pesquisa colaborativa com povos indígenas, movimentos sociais e experimentos de educação alternativa.

Pág. 10 de 18