Print this page

Afiliadxs Honorárixs

A distinção de Afiliadx Honorárix é outorgada a acadêmicxs, artistas e ativistas afiliadxs ao Instituto Hemisférico cujo trabalho exemplifica as mais altas conquistas no campo da performance e da política. Xs afiliadxs honorárixs são selecionadxs pelo Conselho Diretor do Instituto. Xs primeirxs Afiliadxs Honorárixs, Jesusa Rodríguez e Luis Millones, foram nomeadxs durante o Encuentro de 2007 em Buenos Aires; em Bogotá em 2009, nomeamos Tomás Ybarra-Frausto e Guillermo Gómez-Peña; Vivian Martínez Tabares e o Grupo Cultural Yuyachkani foram nomeadxs em São Paulo em 2013; nomeamos Rossana Reguillo e Split Britches (Peggy Shaw e Lois Weaver) em 2014 em Montreal; e em Santiago em 2016 nomeamos Julio Pantoja e Diamela Eltit como Afiliadxs Honorárixs. Agora, na Cidade do México, temos a honra de nomear Carmelita Tropicana, peter kulchyski e Antonio Prieto Stambaugh como nossxs Afiliadxs Honorárixs para o ano de 2019. Muito obrigadx, Carmelita, peter e Antonio, por todas as suas contribuições para o Hemi durante todos esses anos!

Antonio Prieto Stambaugh

Professor-pesquisador em tempo integral na Faculdade de Teatro e no Centro de Estudos, Criação e Documentação das Artes da Universidad Veracruzana, onde é coordenador do mestrado em Artes Cênicas. Membro do Sistema Nacional de Investigadores (SNI), tem especialização em teatro e performance mexicana atual, com interesse particular em artistas que trabalham as dimensões de gênero, nação, sexualidade e etnia. Tem mestrado em Estudos da Performance da New York University e doutorado em Estudos Latino-Americanos da Faculdade de Filosofia e Letras da UNAM. Editor de quatro livros, dentre eles: Jerzy Grotowski. Miradas desde Latinoamérica (Universidad Veracruzana, 2011) e, junto com Elka Fediuk, Corporalidades escénicas. Representaciones del cuerpo en el teatro, la danza y el performance (Universidad Veracruzana, 2016). É diretor de Investigación Teatral. Revista de artes escénicas y performatividad.

Carmelita Tropicana

Carmelita Tropicana tem apresentado o seu trabalho como performer em palcos de Nova Iorque desde os anos 80, cavalgando os mundos da arte performática e do teatro nos Estados Unidos, na América Latina e na Europa com o seu humor irreverente, as suas fantasias subversivas e os seus trocadilhos bilíngues. Recebeu um prêmio Obie em Teatro, o prêmio de Performance e Ativismo do Women in Theater Program / American Theater in Higher Education e uma bolsa Guggenheim por seu livro de memórias, a ser publicado em breve. É uma bolsista do Creative Capital junto com o seu dramaturgo colaborador Branden Jacobs-Jenkins, um ex-participante do programa EmergeNYC do Instituto Hemisférico. Entre os seus trabalhos recentes, vale destacar: Schwanze-Beast, uma performance comissionada pelo Vermont Performance Lab; Post Plastica, uma instalação/vídeo e performance apresentada no El Museo del Barrio; e a peça antológica Milk of Amnesia (Leite de Amnésia), que foi apresentada no Encuentro do Instituto Hemisférico em Monterrey, México. Suas publicações incluem o livro co-editado com Holly Hughes, Memories of the Revolution: The First Ten Years of the WOW Café (Memórias da revolução: os primeiros dez anos do Café Wow). Tropicana já lecionou em diversas universidades e faz parte do conselho de diretores da New York Foundation for the Arts.

peter kulchyski é um destacado acadêmico não-indígena canadense do Departamento de Estudos Nativos da University of Manitoba. O seu mais recente livro é Report of an Inquiry into an Injustice (Relatório de uma investigação sobre uma injustiça). Sua pesquisa localiza-se na interseção entre a política, o direito, a história e a cultura, prestando atenção especial às comunidades Dene e Inuit, no extremo norte do hemisfério. Recentemente, tem se preocupado com o impacto do desenvolvimento elétrico nas comunidades Inninew/Inninewak no norte de Manitoba. Está concluindo o seu mandato como co-diretor do Canadian Consortium on Performance and Politics in the Americas.

FaLang translation system by Faboba