Elyla Sinvergüenza: Azul-branco, rubro-negro... Homenagem à viadagem do mais além

Azul-branco, rubro-negro... Homenagem à viadagem do mais além

Exploração performática para a fuga do corpo dissidente, entre a revolução patriarcal sandinista rubro-negra (afogada fatalmente pela ditadura Ortega-Murillo) e a onda neocolonial conservadora e capitalista azul e branca. De que serve a nós, bichas, botar a corpa para uma morte anunciada?

Biografia

Elyla Sinvergüenza (Fredman Barahona) é artista da performance e ativista da Nicarágua. Seu trabalho é geralmente formado por vídeo-performances, instalações, arte relacional e oficinas que exploram as linhas entre teatro, performance e ativismo. Elyla usa o travestismo como arma de ação política voltada para a mudança social e a cura coletiva.