01 Métodos de cabaré pelo avesso: prática, pedagogia, publicação, protesto

Descrição:

Buscamos intervenções artísticas ou pedagógicas e análises críticas de textos culturais que usam o cabaré como método. Convidamos artistxs, acadêmicxs, organizadorxs comunitárixs e outrxs que usem métodos de cabaré, incluindo, mas não exclusivamente: variedade, sátira, urgência, risco, conhecimento distribuído, palco compartilhado, fabulosidade e provocação dentro e fora do palco. À luz do tema do Encuentro deste ano, poderemos refletir particularmente sobre “a estratégia de justaposição do humor e do sóbrio” (Gutierrez, 2010), usada com grande sucesso por artistas de cabaré para analisar as ideias sérias do momento.

Coordenamos este grupo de trabalho para abrir a discussão sobre o cabaré como um momento translocal contínuo, no qual “as minorias sexuais, raciais e econômicas reagem contra o sujeito individualista exemplar moderno, cultivando, ao invés, culturas táticas de colaboração, recursos compartidos e coalisões políticas” (Cowan 2015). Além disso, esperamos que este grupo de trabalho nos permita desenvolver uma genealogia translocal do cabaré político nas Américas, uma genealogia que é frequentemente ignorada em favor de uma nostalgia pelo cabaré artístico europeu do final do século XIX e dos tempos de guerra.

Descrição do formato ou estrutura:

O grupo será organizado com base nos interesses dxs participantes. Esperamos explorar o que significa o cabaré como prática performática e como um conjunto de táticas e métodos portáteis e multiplataforma que continuam sendo fundamentais para os movimentos de protesto, a organização em redes sociais e como modalidade de ensino, pesquisa, produção e transferência de conhecimento.

Neste grupo de trabalho, xs participantes discutirão suas experiências com o uso dos métodos do cabaré dentro e fora do palco (na performance, na sala de aula, em suas pesquisas, nas ruas). Cada participante terá a oportunidade de discutir o seu trabalho e receber comentários do grupo. Nos últimos dias, podemos decidir, em grupo, criar algo juntos: uma performance, uma intervenção urbana, um trabalho de pesquisa, um manifesto, ou talvez tudo isto!

Questões que gostaríamos de abordar no grupo de trabalho (lista não exaustiva):

  • O que é o cabaré para você? O que é o cabaré onde você mora/atua?
  • O que o cabaré lhe permite fazer, onde você atua?
  • Você acha que o cabaré é uma tática de conscientização/pedagogia política?
  • Existe uma ‘metodologia de cabaré’? Neste caso, como e onde ela se mobiliza além do palco?
  • Se existe uma teoria do cabaré, o que isso significa para você?
  • Quais são algumas limitações do cabaré? Como o cabaré recebe uma má reputação?
  • Como o cabaré difere de um local para o outro?
  • Como o cabaré torna-se político? Ou é sempre político?
  • Sob que condições o cabaré torna-se um método de organização?
  • Como a análise / o método / a prática do cabaré influenciam diversas categorias de performance e teatro, como variedades, humor/sátira e performance política?
  • O que significa quando ‘cabaré’ significa coisas diferentes em diferentes contextos?
  • Como podemos traduzir a prática / o método / a teoria do cabaré? O cabaré é portátil?
  • Como o cabaré atua além do palco / do teatro / do bar?
  • Como o trabalho e a pedagogia acadêmica poderiam também empregar a " metodologia do cabaré"?
  • Quais são os modos de teorizar, destacar ou sinalizar a metodologia do cabaré como transdisciplinar, interdisciplinar, intradisciplinar ou antidisciplinar quando teorizamos o cabaré dentro de um histórico e de uma prática ‘disciplinar’ mais ampla de Estudos da Performance ou Estudos do Ativismo e/ou quando usamos este método para interagir com outros objetos / locais / cenários / corpos de pesquisa?

Idiomas que xs coordenadorxs do grupo falam/entendem:

Espanhol, inglês, português, francês (entendem).

Coordenadorxs:

Laura G. Gutiérrez é Professora Associada de Performance Latinx e Estudos de Cultura Visual no Departamento de Estudos Mexicanxs-Americanxs e de Estudos Latinxs na University of Texas, em Austin. O seu livro Performing Mexicanidad: Vendidas y Cabareteras on the Transnational Stage (2010) ganhou o IX Prêmio Anual da MLA na categoria de Estudos Literários e Culturais Latinxs e Chicanxs. Gutiérrez já publicou ensaios e capítulos de livros sobre temas como: a arte performática latina e mexicana, a arte fronteiriça, a videoarte e o cabaré político. Ela está atualmente concluindo uma monografia sobre pânicos raciais e sexuais nos meados do século XXI no México através de uma leitura de filmes da época. A sua pesquisa sobre o cabaré político mexicano também produzirá um histórico cultural do gênero.

T.L. Cowan é Professora Assistente de Estudos de Mídia no Departamento de Artes, Cultura e Mídia (UTSC – Univerity of Toronto Scarborough) e da Faculdade de Informação (iSchool) da University of Toronto. Seus recentes ensaios foram publicados em Women & Performance (2018), Liminalities (2016) e More Caught in the Act: An Anthology of Performance Art by Canadian Women (2016). Cowan está atualmente concluindo uma monografia, Transmedial Drag: Cross-Platform Cabaret Methods e desenvolvendo dois projetos online: The Cabaret Commons Digital Platform e Digital Research Ethics Collaboratory.  T.L. é também uma artista de cabaré, talvez mais conhecida pelo seu alter ego, a Sra. Trixie Cane. tlcowan.net

Participantes:

  • Carina Guzman
  • Cecilia Sotres
  • Christina Baker
  • Christina Streva
  • David Tenorio
  • Fabián Céspedes
  • Fernanda Souza
  • Eduardo Fajardo
  • Juliana Fadil Luchkiw
  • Mark Sussman
  • Martha Toriz-Proenza
  • Nora Isabel Huerta Huajardo
  • Pako Reyes
  • Stephen Lawson
  • Vicente Leite Filho
  • Yecid Calderón Rodelo
  • Maria Paz Valenzuela Silva
  • Rosanne Sia
  • Liliana Ramírez
  • Bretton White
  • Gisela Martinez
FaLang translation system by Faboba