10 Cuidados irreverentes: performatividade e teatralidade terapêutica, afetos e mobilização social

Descrição:

Este grupo de trabalho busca gerar um território de experimentação corporal, somática, conceitual e performática sobre xs cuidadores. Com a compreensão das trajetórias de ações de certos agentes latino-americanos, que se aproximam do pensamento crítico dos feminismos, e autores como Félix Guattari, Donna Haraway, Suely Rolnik e Peter Pal Pelbart, dentre outros, queremos cartografar práticas de cuidado. Queremos que xs participantes mobilizem e identifiquem densidades poéticas e metodológicas nestas ações e analisem através da criação de redes de cuidados a partir de uma perspectiva micropolítica e do afeto. Para tanto, propomos a noção de “Cuidado Irreverente” àqueles envolvidos com a experimentação artística, mas não exclusivamente. São eles que instauram a liminalidade, a ambiguidade, as irreverências, as ironias e o humor, ao operar experiências coletivas de cuidados vitais. É em meio a estas desorganizações propostas, pela forma relacional experimentada, que algo de diversão aparece, além do cuidado habitual. Isso mobiliza a hegemonia dos papeis atribuídos aos sujeitos e também as formas como se deve cuidar. O que implica também tornar irreverentes os próprios resultados efetivos de cuidado.

Formato ou estrutura:

O formato será o de oficina. Cada participante produzirá uma proposta de forma coletiva com vista à reflexividade, um mapeamento e uma ação reflexiva acerca dos processos de cuidado que desafiarão a nossa presença no mundo. Haverá discussão de leituras e algumas anedotas. A ideia é sentarmos comodamente para nos aproximarmos e nos empoderarmos criticamente.

Idiomas que xs organizadorxs do grupo falam/entendem:

Espanhol e português

Coordenadorxs:

Cristina Ribas é artista, pesquisadora e curadora ocasional. É bolsista de pós-doutorado da UFRGS, Brasil. Desde 2008, tem organizado residências para artistas e outros projetos interdisciplinares, como Interações Florestais e Pedregulho Residência Artística. Sua prática no sentido mais amplo promove articulações entre os diagramas, a memória, a história, os arquivos, a esfera pública e a política. Entre 2005 e 2010, desenvolveu o projeto de pesquisa “Arquivo de emergência”, criando um arquivo para práticas artísticas coletivas e públicas no Brasil. Em 2011, parte desta pesquisa transformou-se na plataforma aberta Desarquivo.org. Ribas concluiu seus estudos doutorais no Departamento de Belas Artes do Goldsmiths College, Londres, e tem um mestrado em Processo Artístico Contemporâneo da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Nasceu em São Borja, Rio Grande do Sul em 1980. Atualmente vive no Brasil.

Paulina Varas é curadora, acadêmica e pesquisadora do Campus Criativo da Universidad Andrés Bello, Santiago, Chile. É formada em Arte pela Universidad de Playa Ancha e tem um doutorado em História e Teoria da Arte pela Universidad de Barcelona. É coordenadora de CRAC Valparaíso e desde 2007 é membro da Red Conceptualismos del Sur (RedCSur), onde já participou de ações de apoio e grupos de trabalho no Chile, Espanha, Argentina e Peru, dentre outros. Já escreveu sobre a arte contemporânea chilena e latino-americana em revistas e publicações internacionais. Como curadora ou cocuradora, destacam-se os seus projetos: “Certo tipo de poética política” (Valparaíso 2008); Subversive Practices: Art under conditions of political repression, 60s-80s South America-Europe” (Stuttgart, 2009); “Valparaíso: Intervenciones” (Valparaíso 2010); “Una acción hecha por otro es una obra de la Luz Donoso” (Santiago 2011), “Deisler, los años antofagastinos” (Antofagasta, 2012); “Artist for Democracy: el archivo de Cecilia Vicuña” (Santiago 2014).

Albeley Rodríguez Bencomo é escritora, acadêmica, pesquisadora, docente e curadora. Tem doutorado do Programa de Estudos Culturais Latino-Americanos da Universidad Andina Simón Bolívar (Equador) e mestrado em Estudos da Cultura, Políticas Culturais pela mesma universidade. Tem mestrado em Museologia (UNEFM, Falcón- Venezuela) e é formada em Letras, História da Arte (ULA, Mérida). Atualmente, é professora universitária e membro da Red de Conceptualismos del Sur. Seus trabalhos curatoriais incluem: “Ecuaterrestres” (um projeto artístico do artista equatoriano José Luis Macas), “ArteActual” (FLACSO) e “Chawpi Laboratorio de Creación”, Quito, dentre outros. Já publicou livros e artigos sobre a arte latino-americana contemporânea em revistas especializadas na Argentina, Chile, Espanha, Equador e Venezuela e já foi professora e palestrante no Equador, Venezuela e Colômbia.

David Gutiérrez Castañeda é sociólogo da Universidad Nacional de Colombia (2006), tem mestrado em História da Arte pela Universidad Nacional Autónoma de México (2011) e doutorado em História da Arte (2016) pela UNAM, com ênfase em estudos da performance e gênero, arte e política na América Latina e museologia contemporânea. É professor adjunto em tempo integral no curso de licenciatura em História da Arte da Escuela Nacional de Estudios Superiores Unidad Morelia (ENES), da UNAM. É membro do coletivo de pesquisa Taller de Historia Crítica del Arte e da Red de Conceptualismos del Sur. É também bolsista pelo Colegio Mexiquense e pela Ford Foundation para o programa Liberdades Laicas, a fim de pesquisar sobre a arte e a laicidade no Colegio de México (2006). Ganhou o Prêmio Nacional de Crítica de Arte do Ministério da Cultura da Colômbia em 2010 e é autor do livro Mapa Teatro 1987-1992 (2014).

Participantes:

  • Agustine Zegers
  • Ana Trincao
  • Christoforos Pavlakis
  • Everton Lampe
  • Florencia Carrizo
  • Hattie Houser
  • Julied Zapata Arias
  • Marta Peres
  • Naira Ciotti
  • Nayeli Pérez
  • Nora Daniela Márquez
  • Rosalia Lerner
  • Zoitsa Carolina Noriega
FaLang translation system by Faboba