El club de los enemigos de Fox (2004)

El club de los enemigos de Fox (2004) HIDVL
Performance de cabaré de Jesusa Rodríguez e Liliana Felipe que explora o lado negativo da indiferença social e do poder da desobediência civil como uma forma efetiva de participação cívica através do qual se desempenham mudanças políticas, culturais e sociais na esfera pública. Uma antropóloga do "Discovery Chafa" (uma paródia dos documentários etnográficos da televisão americana) pesquisa uma tribo de indígenas latino-americanos, os "Yanomami", juntando-os numa busca continental pelos seus deuses perdidos. Culturas do mundo ocidental e oriental -- caracterizados como "el Tener" ("o Ter") e "el Ser" ("O Ser"), respectivamente -- representados como dos pseudo-deuses tentando ser reconhecidos como Cultura "universal". Opondo-se a esta batalha de desejos, a peça propõe (através de diálogos satíricos e escatológicos e desvios de paródia) uma ruptura do binário Oriente/Ocidente Maquineísta, favorecendo uma "terceira opção", a do "Saber Estar", atribuída às civilizações indígenas; esta opção intenciona abrir o espaço para o delegar de poder e incorporar o povo indígena aos projetos nacionais contemporâneos -- projetos que tendem a isolá-los em discursos de origem mítico-romântico ao mesmo tempo que são considerados tecno e culturamente "atrasados". Além disso, as artistas convidam o público a ter uma abordagem crítica não apenas quanto às agendas de política estrangeira e cultural, mas, mais urgentemente, às agendas governamentais atuais do México (entre elas, os efeitos do NAFTA na sociedade civil). Propõe-se a desobediência civil como instrumento de participação cívica; o público é convidado a juntar-se ao clube dos "Enemigos de Fox?" (clube dos Inimigos de Fox, um clube fictício de oposição contra o presidente mexicano Vicente Fox) e expressa publicamente seu descontentamento com a situação política e econômica do México contemporâneo.

Media

Permanent URL: http://hdl.handle.net/2333.1/51c5b03h