Jardín de pulpos (1996)

Program for Jardín de Pulpos, 1996 Program for Jardín de Pulpos, 1996 Antonio Martorell
Adaptação de "Jardín de Pulpos", renomada peça do argentino escritor Arístides Vargas (do grupo teatral equatoriano Malayerba), dirigida por Rosa Luisa Márquez e criada coletivamente com os alunos do "Teatro Rodante" da Universidade de Puerto Rico, no campus do Río Piedras. Peça teatral sobre memória, atrocidade, afeto e resistência, "Pulpos" faz a ponte entre o tempo (dos tempos míticos ao "Baby Boomers" à "Geração X") e o lugar (com um texto Andino executado como caribenho e adaptado para a realidade portorriquenha) a fim de denunciar a repressão política, a brutalidade policial, a perseguição ideológica e o assassinato político, evocar e prestar homenagem aos nossos mortos e desaparecidos. Uma imagem é aquela do "velório" (fazendo referência à pintura portorriquenha canônica de um "baquiné" -- velório para uma criança -- de Francisco Oller e de uma interpretação contemporânea de Rafael Trelles), numa exploração das memórias de perda e de um sentido de comunidade, de uma família mais abrangente portorriquenha. O tema recorrente de uma praia abre camadas produtivas de significação, ritmo e organização espacial: ele sugere as águas onde os argentinos "foram desaparecidos" durante a ditadura, as fronteiras (geográficas e políticas) da ilha de Porto Rico e a canção dos Beatles "Octopus' Garden", a qual inspirou o título da peça. A performance resultante é uma convocatória para resgatar e salvaguardar as memórias coletivas dos eventos políticos e históricos que deram forma às nossas sociedades latino-americanas atuais. É também uma tentativa artística de capturar e evocar as complexidades sensoriais de eventos passados, reivindicando-os como marcos genealógicos em nossa vida coletiva atual.

Media

Image Gallery

Warning: No images in specified directory. Please check the directory!

Debug: specified directory - https://hemisphericinstitute.org/images/1185