Os Sertões: O homem 2 — da re-volta ao trans-homem (2003)

De 2000 a 2007, o Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona trabalhou na encenação de ‘Os Sertões’, o livro épico de Euclides da Cunha que descreve a Guerra de Canudos do século XIX no sertão brasileiro, liderado por Antônio Conselheiro. O resultado final foi uma pentalogia, formada pelas peças ‘A Terra’ (2002), ‘O Homem I’ (2003), ‘O Homem II’ (2003), ‘A Luta I’ (2005) e ‘A Luta II’ (2006), totalizando 27 horas de teatro. ‘Os Sertões’ relata os episódios da Guerra à luz da história passada e presente do Brasil e em relação à batalha do grupo contra o magnata da mídia Sílvio Santos, que queria derrubar o teatro histórico.

Dedicado à "criação de uma atitude heróica e anti-heróica daqueles que vão à Guerra e dizem: Adeus, Homem!", a teatralização do segundo movimento da segunda parte de Os Sertões apresenta a passagem do homem re-voltado para o trans-homem, criador de uma possibilidade alternativa para a aventura humana na Terra. A partir da estória de Antônio Conselheiro, todo o teatro revive a sua morte seminal: um homem comum que, por amor, transforma-se em um líder anti-messiânico, arregimentando uma legião de sertanejos – como raízes de solidariedade no interior da Bahia – que, em mutirão, ergueu açudes, igrejas e cemitérios. A comunidade chegou a contar com 25 mil habitantes, sendo na época a segunda maior cidade da Bahia. Os Frades Capuchinhos tentaram dispersar o povo de Canudos "diplomaticamnte". A sua recusa em obedecer a ordem oficial religiosa leva o Frei Evangelista a amaldiçoar os seguidores de Antônio Conselheiro em nome de Jesus. A Cidade prepara-se para a guerra.


Materiais Adicionais

iconOs Sertões: O Homem II, program with script (POR) (6.4 MB)

iconOs Sertões: O Homem II, program with script (POR) (2.97 MB)

Media

Permanent URL: http://hdl.handle.net/2333.1/z08kptfp

Additional Info

  • Título: Os Sertões: O homem 2 - da re-volta ao trans-homem
  • Alternate Title: Os Sertões: The man 2 - from re-volution to trans-man
  • Holdings: photo gallery, program, script
  • Idioma: Portuguese
  • Data da performance: 2003
  • Lugar: São Paulo, Brazil
  • Type/Format: play, performance
  • Cast/Performers: Adão Filho, Adriana Capparelli, Adriana Viegas, Adriano Salhab, André Santana Lagartixa, Anna Guilhermina, Aury Porto, Camila Mota, Daniel Camilo, Danilo Tomic, Elenildo de Moura Uga, Fernando Coimbra, Fioravante Almeida, Francisco Rodrigues Rato, Fransérgio Araújo, Freddy Allan, Frederick Steffen Benfica, Gabriel Fernandes, Guilherme Calzavara, Ito Alves, Juliane Elting, Karina Buhr, Letícia Coura, Marcelo Drummond, Mariana de Moraes, Mariano Mattos Martins, Naomy Schölling, Otávio Ortega, Ricardo Bittencourt, Rodolfo Dias Paes – Dipa, Sálvio do Prado, Samuel de Assis, Sylvia Prado, Vera Barreto Leite, Wilson Feitosa Jr., Zé Celso Martinez Corrêa, Zé de Paiva; BIXIGÃO: Aneliê Schinaider, Ariclenes Barroso, Beiço – Gilmário Júnior, Cíntia Ingrid, Débora Santos, Edísio do Santos, Edna do Santos, Geni de Lira, Isabela Santana, Ivan Cardoso, Jacqueline Braga, Jhonatha Ferreira, Juliane Lira, Laene Santana, Luna Oliveira, Talita Martins, Thiago Martinho, Xandy
  • Credits: José Celso Martinez Corrêa, director; Camila Mota, assistant director; Catherine Hirsch, adviser; José Celso Martinez Corrêa, Fernando Coimbra, and Tommy Pietra, dramaturgy; Marcelo Pellegrini, musical direction and original soundtrack; Maura Baiocchi, Wolfgang Pannek, and Haroldo Alves, choreography; Cibele Forjaz and Allan Milani, lighting design; Gabriel Fernandes, Henrique Palazzo, video; Elisete Jeremias and Rodrigo Andreolli, stage directors; Osvaldo Gabrieli, art director and set design; Olintho Malaquias, Helena Amaral, and Nelson Kume, costume design; Ana Rúbia de Melo, Bia Fonseca, and Freddy Lopes, producers.