Print this page

Sessão de Anistia a Zé Celso (2010)

Em 1974, José Celso Martinez Corrêa foi preso pela ditadura militar e levado para o DOPS – o Departamento de Ordem Política e Social –, onde ele foi brutalmente torturado e posto na cadeia. Trinta anos depois, o diretor teatral deu entrada em um pedido de perdão oficial e de compensação perante a Comissão de Anistia. Esta comissão tinha sido criada pela Lei no 10.559 de 2002, que complementou a infame Lei no 6.683 de 1979, que concedeu anistia geral para todos que haviam cometido crimes políticos sob o regime ditatorial, tanto como parte do exército quanto da resistência.

Em 2010, a Comissão de Anistia realizou a sua 35a sessão pública no Teatro Oficina, para realizar a leitura e a votação do pedido de Zé Celso. À teatricalidade oficial da lei, combinou-se O Banquete, uma peça do grupo, e a audiência foi recebida com uma canção servo-croata, seguida da lavação dos seus pés por um dos membros do elenco, caracterizado. O relator para o caso foi o advogado e ator Prudente José Silveira Mello, que fez a leitura do relatório vestindo um terno e de pés descalços, no cenário da peça.


Materiais Relacionados:

"The end of all tortures in Brazil," open letter by Zé Celso (POR)
"Political amnesty for Zé Celso," blog post announcing the event (POR)
"Amnesty for Zé Celso," article in the Estado de São Paulo 04/07/2010 (POR)
"How the Amnesty Session for Zé Celso went," blog post (POR)


Zé Celso's speech in the Amnesty Session 1/4, youtube video (POR)
Zé Celso's speech in the Amnesty Session 2/4, youtube video (POR)
Zé Celso's speech in the Amnesty Session 3/4, youtube video (POR)
Zé Celso's speech in the Amnesty Session 4/4, youtube video (POR)
Amnesty Commission Council votes, youtube video (POR)

Media

Zé Celso's amnesty request

Related items