quarta-feira, 29 fevereiro 2012 18:22

Ya basta! (2003)

There is no translation available.

Video documentation of Coatlicue Theater Company's performance "Ya Basta" presented as part of the 4th Encuentro of the Hemispheric Institute of Performance and Politics, celebrated in July of 2003 in New York, United States under the title "Spectacles of Religiosities".

 

Published in Coatlicue: Trabalhos
sexta-feira, 04 março 2011 17:19

Entrevista com Daniel David Moses (2007)

Em dezembro de 2007, como parte do seu Festival de Teatro Nativo, o teatro The Public trouxe profissionais do teatro nativo de todas as partes dos Estados Unidos e do Canadá para a cidade de Nova Iorque para uma série de leituras e discussões. O festival, com cinco dias de duração, incluiu leituras de peças, discussões após os espetáculos, shows, mesas redondas e uma performance da obra 'Tales of an Urban Indian’ (“Contos de um Índio Urbano”), de Darrell Dennis. Este vídeo documenta uma entrevista com Daniel David Moses, conduzida por Jennifer Podemski como parte de uma série de entrevistas complementares ao Festival de Teatro Nativo.

Dramaturgo, poeta, ensaísta e professor, Daniel David Moses é um Delaware das terras de Six Nations, ao sul de Ontário, Canadá. Ele recebeu um título de bacharelado com menção honrosa em Belas Artes em Geral da York University e um mestrado em Belas Artes em Criação Literária da University of British Columbia. Dentre as suas peças, destacam-se a sua primeira obra, 'Coyote City' (A Cidade do Coiote”), nomeada para o prêmio literário Governor General na categoria de Drama em 1991, 'The Indian Medicine Shows' (“Os Shows da Medicina Indígena”) e 'Brebeuf's Ghost' (“O Fantasma de Brebeuf”). Ele é também o autor dos poemas 'Delicate Bodies’ (“Corpos Delicados”) e ‘Sixteen Jesuses' (“Dezesseis Jesus”) e co-editor de 'An Anthology of Canadian Native Literature in English' (“Uma Antologia da Literatura Canadense Nativa em Inglês”) da Oxford University Press, terceira edição, 2005. Dentre os reconhecimentos por ele recebidos, destacam-se um Prêmio Comemorativo James Buller por Excelência em Teatro Aborígine, o prêmio do Festival Harbourfront, um Prêmio Harold, uma bolsa de estudos Chalmers e a sua pré-seleção para o Prêmio Siminovitch de 2005. Em 2006, a sua indicação como bolsista da Queen's National, no Departamento de Drama da Queen's University, Kingston, Ontário, foi renovado.

Jennifer Podemski (Ojibway/Israelita) é uma atriz/escritora/produtora de 34 anos de idade, nascida e criada em Toronto. Mais reconhecida pelos seus papéis em ‘Dance Me Outside’ de Bruce McDonald e em 'The Rez Sisters' (“As Irmãs Rez”), 'Riverdale' e 'Degrassi: The Next Generation’ (“Degrassi: A Próxima Geração”), da CBC. Jennifer tem conseguido manter uma carreira como atriz pelos últimos 20 anos. Ela é co-fundadora da Big Soul Productions (1999–2003) e, mais recentemente, da Redcloud Studios Inc., uma agência produtora de filmes e shows televisivos independentes. Ela é co-criadora e produtora executiva de 'Moccasin Flats', a primeira série televisiva completamente produzida, escrita e representada por aborígines na América do Norte, atualmente na sua terceira temporada na rede de televisão The Aboriginal Peoples e na Showcase Television.

sexta-feira, 04 março 2011 17:16

Entrevista com Terry Gomez (2007)

Em dezembro de 2007, como parte do seu Native Theater Festival (Festival de Teatro Nativo), o Public Theater trouxe profissionais do teatro nativo de todos os Estados Unidos e Canadá para a Cidade de Nova Iorque, para uma série de leituras e discussões. O festival, com duração de cinco dias, incluiu leituras de peças, discussões pós-performance, concertos, mesas redondas e a performance de ‘Tales of and Urban Indian’, de Darrell Dennis. Este vídeo documenta uma entrevista com Terry Gomez, conduzida por Edward Wemytewa como parte de um suplemento à série de entrevistas do Native Theater Festival.

Terry Gomez é da Nação Comanche de Oklahoma. Ela é uma dramaturga com obras publicadas e produzidas, uma autora com livros publicados, uma diretora teatral, atriz e pintora. A sua peça ‘Inter-tribal’ foi produzida como uma leitura encenada no The Public Theater, na Cidade de Nova Iorque, e publicada na antologia ‘Plays by Women of Color’. Outras peças produzidas em vários locais no Novo México incluem ‘Inter-tribal’, ‘Reunion’, ‘The Antigone’, ‘A Day at the Night Hawk’, ‘Carbon Black’, ‘Rain Dance’, ‘Melanin’ e ‘The Woman with a Mustache’. Terry já foi Professora Adjunta de Artes Teatrais no Institute of American Indian Arts em Santa Fé, Novo México, e docente no Programa de Cinema de Verão do I.A.I.A./ABC/Disney. Ela já dirigiu sete peças originais e duas exibições para o I.A.I.A. e ‘Ghost Dance’, de Annette Arkeketa. Ela também já ensinou oficinas para a Santa Clara Pueblo Community School, para o Tesuque Pueblo Language Program e para a Crown Point Community School e já ofereceu oficinas no International Workshop Festival em Londres, Inglaterra. Ela foi recipiente, no ano letivo de 2007-2008, do American Indian College Fund/Andrew W. Mellon Fellowship. Trabalhos de atuação recentes incluem um tour de um mês pelo estado do Novo México com a trupe de teatro Wise Fool na peça ‘Baggage’. Ela é mãe de dois filhos e reside atualmente em Santa Fé.

Edward Wemytewa é um antigo Conselheiro Tribal Zuni e a sua conexão com as suas raízes culturais Zuni se dá através da arte e da linguagem. Ele é o diretor fundador do Idiwanan An Chawe, um teatro de contação de estórias. Um dramaturgo, artista performático e artista plástico, as suas premiadas pinturas e esculturas já foram exibidas em museus no Arizona e no Novo México.

sexta-feira, 04 março 2011 17:12

Entrevista com Marie Clements (2008)

Em novembro de 2008, o teatro The Public, na cidade de Nova Iorque, teve o prazer de apresentar um festival de teatro extraordinário com artistas nativos contemporâneos. No segundo ano do festival, apresentou-se: três leituras gratuitas dos novos trabalhos dos dramaturgos nativos Victoria Nalani Kneubuhl, Laura Shamas e Eric Gansworth, seguidas de discussões após os espetáculos; uma discussão com o diretor artístico Oskar Eustis e um painel de artistas nativos sobre política e performance, que foi aberto ao público em geral; uma série de sete discussões sobre o ramo do teatro nativo, destinadas a reunir artistas e criar um fórum aberto para se debater temas relacionados ao teatro nativo contemporâneo; e um show da cantora nativa e afro-americana Martha Redbone no Joe’s Pub. Este vídeo, Entrevista com Marie Clements, faz parte da série de entrevistas conduzidas por Tom Pearson e complementa os arquivos do festival de 2008.

Marie Clements (Metis/Dene) é uma premiada artista performática, dramaturga, diretora, roteirista, produtora e diretora artística fundadora da urban ink productions e da Fathom Labs Highway. As suas doze peças, inclusive 'Copper Thunderbird', 'Burning Vision' (“Visão em Chamas”) e 'The Unnatural and Accidental Women' (“As Mulheres Artificiais e Acidentais”) têm sido apresentadas em alguns dos palcos mais prestigiados para obras canadenses e internacionais, dentre eles o Festival de Teatro das Américas (Urban Tattoo, 2001; Burning Vision, 2003), em Montreal, o National Arts Centre e o The Magnetic North Festival (Burning Vision, 2003; Copper Thunderbird, 2007), em Ottawa. O seu trabalho já lhe rendeu inúmeros prêmios e publicações, dentre eles o Prêmio Literário Canadá-Japão em 2004 e uma pré-seleção para o prêmio literário Governor General em 2003.

Tom Pearson (Creek/Cherokee da Banda Leste) é um escritor e artista atuante em diversas modalidades artísticas, incluindo dança contemporânea, performances de local específico, cinema, arte visual e instalações de grande escala. Pearson tem um mestrado em Estudo da Performance pela New York University/Tisch School of the Arts e atualmente é co-diretor artístico do Third Rail Projects, um grupo de artistas com sede na cidade de Nova Iorque. Ele recebeu o prêmio New York Dance and Performance (Bessie) em 2008 na categoria de coreografia e um prêmio Kingsbury na categoria de obra literária. Os artigos de Pearson sobre a dança e a performance nativas têm sido publicados na Time Out New York Kids, na Dance Magazine, na Dance Spirit e em várias outras publicações online. Além do seu trabalho nas artes contemporâneas, Tom participa também de eventos indígeno-americanos tradicionais como dançarino e cantor.
sexta-feira, 04 março 2011 17:09

Entrevista a Drew Hayden Taylor (2007)

Em dezembro de 2007, como parte do seu Festival de Teatro Nativo, o teatro The Public trouxe para a cidade de Nova Iorque profissionais do teatro nativo de todas as partes dos E.U.A. e do Canadá para uma série de leituras e discussões. O festival, com cinco dias de duração, incluiu leituras de peças, discussões após os espetáculos, shows, mesas redondas e a performance da obra 'Tales of an Urban Indian' (“Contos de um Índio Urbano”), de Darrell Dennis. Este vídeo documenta uma entrevista com Drew Hayden Taylor, conduzida por Kennetch Charlette como parte de uma série de entrevistas complementares ao Festival de Teatro Nativo.

Drew Hayden Taylor já fez de tudo, desde espetáculos humorísticos do tipo stand-up comedy no Kennedy Center em Washington D.C. até uma palestra sobre os filmes de Sherman Alexie no Museu Britânico, na Inglaterra. Ele é um dramaturgo premiado (com mais de 70 produções das suas obras), cineasta de documentários, roteirista, jornalista e ensaísta. Com 18 livros publicados, Drew também diverte-se escrevendo uma coluna humorística para cinco jornais canadenses. Ele nasceu e atualmente vive na Reserva Curve Lake (Ojibway).

Kennetch Charlette é de Sandy Bay Saskatchewan, Canadá. Ele é da Nação Cree. Kennetch tem trabalhado há muitos anos como ator e diretor. Ele é o diretor artístico fundador da Saskatchewan Native Theatre Company (SNTC). Dentre as suas obras recentes, destacam-se muitos espetáculos na SNTC e também a direção da obra 'In World Created by a Drunken God' (“Em Mundo Criado por um Deus Bêbado”), de Drew Hayden Taylor, no Teatro Persephone em Sakatchewan, e da obra 'Buzz’Gem Blues', também de Taylor, no Trinity Rep em Providence, Rhode Island.
sexta-feira, 04 março 2011 17:06

Entrevista com Jennifer Podemski (2007)

Em dezembro de 2007, como parte do seu Festival de Teatro Nativo, o teatro The Public trouxe para a cidade de Nova Iorque profissionais do teatro nativo de todas as partes dos E.U.A. e do Canadá para uma série de leituras e discussões. O festival, com cinco dias de duração, incluiu leituras de peças, discussões após os espetáculos, shows, mesas redondas e a performance da obra 'Tales of an Urban Indian' (“Contos de um Índio Urbano”), de Darrell Dennis. Este vídeo documenta uma entrevista com Jennifer Podemski, conduzida por Daniel David Moses como parte de uma série de entrevistas complementares ao Festival de Teatro Nativo.

Jennifer Podemski (Ojibway/Israelita) é uma atriz/escritora/produtora, nascida e criada em Toronto. Mais reconhecida pelos seus papéis em ‘Dance Me Outside’ de Bruce McDonald e em 'The Rez Sisters', 'Riverdale' e 'Degrassi: The Next Generation’ (“Degrassi, A Próxima Geração”), da CBC. Jennifer tem conseguido manter uma carreira como atriz pelos últimos 20 anos. Ela é co-fundadora da Big Soul Productions (1999–2003) e, mais recentemente, da Redcloud Studios Inc., uma agência produtora de filmes e shows televisivos independentes. Ela é co-criadora e produtora executiva de 'Moccasin Flats', a primeira série televisiva completamente produzida, escrita e representada por aborígines na América do Norte, atualmente na sua terceira temporada na rede de televisão The Aboriginal Peoples e na Showcase Television. Ela pode também ser vista na série humorística 'Moose TV' (“TV Alce”).

Dramaturgo, poeta, ensaísta e professor, Daniel David Moses é um Delaware das terras de Six Nations, ao sul de Ontário, Canadá. Ele recebeu um título de bacharelado com menção honrosa em Belas Artes em Geral da York University e um mestrado em Belas Artes em Criação Literária da University of British Columbia. Dentre as suas peças, destacam-se a sua primeira obra, 'Coyote City' (“A Cidade do Coiote”), nomeada para o prêmio literário Governor General na categoria de drama em 1991, 'The Indian Medicine Shows' (“Os Shows da Medicina Indígena”) e 'Brebeuf's Ghost' (“O Fantasma de Brebeuf”). Ele é também o autor dos poemas 'Delicate Bodies’ (“Corpos Delicados”) e ‘Sixteen Jesuses' (“Dezesseis Jesus”) e co-editor de 'An Anthology of Canadian Native Literature in English' (“Uma Antologia da Literatura Canadense Nativa em Inglês”) da Oxford University Press, terceira edição, 2005.
sexta-feira, 04 março 2011 17:03

Entrevista com Kennetch Charlette (2007)

Em dezembro de 2007, como parte do seu Festival de Teatro Nativo, o teatro The Public trouxe para a cidade de Nova Iorque profissionais do teatro nativo de todas as partes dos E.U.A. e do Canadá para uma série de leituras e discussões. O festival, com cinco dias de duração, incluiu leituras de peças, discussões após os espetáculos, shows, mesas redondas e a performance da obra 'Tales of an Urban Indian' (“Contos de um Índio Urbano”), de Darrell Dennis. Este vídeo documenta uma entrevista com Kennetch Charlette, conduzida por Drew Hayden como parte de uma série de entrevistas complementares ao Festival de Teatro Nativo.

Kennetch Charlette (Cree) é de Sandy Bay Saskatchewan, Canadá. Ele é da Nação Cree. Kennetch tem trabalhado há muitos anos como ator e diretor. Ele é o diretor artístico fundador da Saskatchewan Native Theatre Company (SNTC). Dentre as suas obras recentes, destacam-se muitos espetáculos na SNTC e também a direção da obra 'In World Created by a Drunken God' (“Em Mundo Criado por um Deus Bêbado”), de Drew Hayden Taylor, no Teatro Persephone em Sakatchewan, e da obra 'Buzz’Gem Blues', também de Taylor, no Trinity Rep em Providence, Rhode Island.

Drew Hayden Taylor já fez de tudo, desde espetáculos humorísticos do tipo stand-up comedy no Kennedy Center em Washington D.C. até uma palestra sobre os filmes de Sherman Alexie no Museu Britânico, na Inglaterra. Ele é um dramaturgo premiado (com mais de 70 produções das suas obras), cineasta de documentários, roteirista, jornalista e ensaísta. Com 18 livros publicados, Drew também diverte-se escrevendo uma coluna humorística para cinco jornais canadenses. Ele nasceu e atualmente vive na Reserva Curve Lake (Ojibway).
sexta-feira, 04 março 2011 17:02

Entrevista com Victoria Kneubuhl (2008)

Em novembro de 2008, o teatro The Public, na cidade de Nova Iorque, teve o prazer de apresentar um festival de teatro extraordinário com artistas nativos contemporâneos. No segundo ano do festival, apresentou-se: três leituras gratuitas dos novos trabalhos dos dramaturgos nativos Victoria Nalani Kneubuhl, Laura Shamas e Eric Gansworth, seguidas de discussões após os espetáculos; uma discussão com o diretor artístico Oskar Eustis e um painel de artistas nativos sobre política e performance, que foi aberto ao público em geral; uma série de sete discussões sobre o ramo do teatro nativo, destinadas a reunir artistas e criar um fórum aberto para se debater temas relacionados ao teatro nativo contemporâneo; e um show da cantora nativa e afro-americana Martha Redbone no Joe’s Pub. Este vídeo, Entrevista com Victoria Kneubuhl, faz parte da série de entrevistas conduzidas por Tom Pearson e complementa os arquivos do festival de 2008.

Victoria Nakani Kneubuhl (havaiana/samoana nativa) é uma dramaturga e autora de Honolulu. As suas diversas peças têm sido encenadas no Havaí e na parte continental dos Estados Unidos e já fizeram turnês pela Grã-Bretanha, pela Ásia e pelo Pacífico. Uma antologia do seu trabalho, 'Hawai'i Nei: Island Plays' (“Hawai’i Nei: Peças da Ilha”), é disponibilizada pela University of Hawai'i Press. O primeiro romance de mistério de Kneubuhl, 'Murder Casts a Shadow' (“O Assassinato Deixa uma Sombra”), foi recentemente publicado pela University of Hawai'i Press. Ela tem atualmente atuado como roteirista e co-produtora da série televisiva 'Biography Hawaii' (“Biografia ndo Havaí”). Em 1994, ela foi recipiente do prestigiado Prêmio Hawai'i de Literatura e em 2006 ela recebeu o Prêmio Eliot Cades de Literatura.

Tom Pearson (Creek/Cherokee da Banda Leste) é um escritor e artista atuante em diversas modalidades artísticas, incluindo dança contemporânea, performances de local específico, cinema, arte visual e instalações de grande escala. Pearson tem um mestrado em Estudo da Performance pela New York University/Tisch School of the Arts e atualmente é co-diretor artístico do Third Rail Projects, um grupo de artistas com sede na cidade de Nova Iorque. Ele recebeu o prêmio New York Dance and Performance (Bessie) em 2008 na categoria de coreografia e um prêmio Kingsbury na categoria de obra literária. Os artigos de Pearson sobre a dança e a performance nativas têm sido publicados na Time Out New York Kids, na Dance Magazine, na Dance Spirit e em várias outras publicações online. Além do seu trabalho nas artes contemporâneas, Tom participa também de eventos indígeno-americanos tradicionais como dançarino e cantor.
sexta-feira, 04 março 2011 16:59

Entrevista com Alanis King (2008)

Em novembro de 2008, o teatro The Public, na cidade de Nova Iorque, teve o prazer de apresentar um festival de teatro extraordinário, com artistas de teatro nativo contemporâneos. No segundo ano do festival, apresentou-se: três leituras gratuitas dos novos trabalhos dos dramaturgos nativos Victoria Nalani Kneubuhl, Laura Shamas e Eric Gansworth, seguidas de discussões após os espetáculos; uma discussão com o diretor artístico Oskar Eustis e um painel de artistas nativos sobre política e performance, que foi aberto ao público em geral; uma série de sete discussões sobre o ramo do teatro nativo, destinadas a reunir artistas e criar um fórum aberto para se debater temas relacionados ao teatro nativo contemporâneo; e um show da cantora nativa e afro-americana Martha Redbone no Joe’s Pub. Este vídeo, Entrevista com Alanis King, faz parte da série de entrevistas conduzidas por Tom Pearson e complementa os arquivos do festival de 2008.

Alanis King (Nação Odawa). Dentre as suas obras teatrais, destacam-se: 'Bye Bye Beneshe', 'Song of Hiawatha: An Anishnaabec Adaptation' (“A Canção de Hiawatha: Uma Adaptação Anishnaabec”), 'Order of Good Cheer' (“Ordem do Bom Tempo”),  'Gegwah', 'Lovechild' (“Fruto de um Caso de Amor”), 'Artshow' (“Show de Arte”), 'Heartdwellers' (“Habitantes do Coração”), 'Manitoulin Incident' (“O Incidente Manitoulin”), 'Tommy Prince Story' (“A Estória de Tommy Prince”), 'When Jesus Met Nanabush' (“Quando Jesus Conheceu Nanabush”), 'Storyteller' (O Contador de Estórias”) e 'Step by Step' (“Passo a Passo”). King fez uma residência em dramaturgia no Centro de Teatro Indígena em Toronto de 2005 a 2007 e no Teatro Nightwood. Ela foi diretora artística da companhia de teatro da sua comunidade, o Debajehmujig Theater Group, e do Native Earth Performing Arts. Ela também já produziu, fez turnês, dirigiu e desenvolveu inúmeras peças em várias comunidades indígenas First Nations; um dos seus destaques foi 'Lupi the Great White Wolf' (“Lupi, o Grande Lobo Branco”) para a turnê infantil na Academia de Música de Brooklyn.

Tom Pearson (Creek/Cherokee da Região Leste) é um escritor e artista atuante em diversas modalidades artísticas, incluindo dança contemporânea, performances de local específico, cinema, arte visual e instalações de grande escala. Pearson tem um mestrado em Estudo da Performance pela New York University/Tisch School of the Arts e atualmente é co-diretor artístico do Third Rail Projects, um grupo de artistas com sede na cidade de Nova Iorque. Ele recebeu o prêmio New York Dance and Performance (Bessie) em 2008 na categoria de coreografia e um prêmio Kingsbury na categoria de obra literária. Os artigos de Pearson sobre a dança e a performance nativas têm sido publicados na Time Out New York Kids, na Dance Magazine, na Dance Spirit e em várias outras publicações online. Além do seu trabalho nas artes contemporâneas, Tom participa também de eventos indígeno-americanos tradicionais como dançarino e cantor.

sexta-feira, 04 março 2011 16:55

Entrevista com Darrell Dennis (2007)

Em dezembro de 2007, o teatro The Public trouxe para a cidade de Nova Iorque profissionais do teatro nativo de todas as partes dos E.U.A. e do Canadá para uma série de leituras e discussões, como parte do seu Festival de Teatro Nativo. O festival, com duração de cinco dias, incluiu leituras de peças, discussões após os espetáculos, shows, mesas redondas e a performance da obra 'Tales of an Urban Indian’ (“Contos de um Índio Urbano”), de Darrell Dennis. Este vídeo documenta uma entrevista com Darrell Dennis, conduzida por Elizabeth Richards como parte de uma série de entrevistas complementares ao Festival de Teatro Nativo.

Darrell é um escritor de uma das “primeiras nações” (First Nations), da Nação Shuswap, no interior da Colúmbia Britânica. Darrell é um dramaturgo e um roteirista de televisão premiado. O seu roteiro 'Moccasin Flats' foi admitido no Festival de Cinema Sundance de 2003. O curta-metragem foi posteriormente transformado em uma série televisiva, para a qual Darrell foi também roteirista. Como ator, Darrell é mais conhecido pelos seus papéis em séries televisivas, como 'Northwood' e 'The Rez Sisters'. Dentre as suas obras de cinema, destacam-se: 'Leaving Normal’, 'Shania: A Life in Eight Albums' (“Shania; Uma Vida em Oito Álbums”) e 'Indian Summer: The Oka Crisis' (“Verão Indígena: a Crise de Oka”). Darrell foi indicado duas vezes para o prêmio Dora pelo seu one man show 'Tales of an Urban Indian'. Ele também já fez parte do Second City National Touring Company. Dentre as suas obras como roteirista, destacam-se: 'Trickster of Third Avenue East' (“O Trapaceiro da Terceira Avenida Leste”) e 'Tales of an Urban Indian', publicados pela Canada Playwrights Press.

Elizabeth Theobald Richards é uma administradora de artes experiente, uma planejadora estratégica, uma artista de teatro e uma promotora das artes nativas. Inscrita como membro da Nação Cherokee de Oklahoma, ela é a primeira americana nativa a atuar como diretora de programa na Ford Foundation. Ela foi diretora de programas públicos para o Museu e Centro de Pesquisa Mashantucket Pequot em Connecticut, o maior museu/biblioteca tribal nos E.U.A. Ela supervisionou o planejamento, o desenvolvimento e a implementação de todos os programas interpretativos, educacionais e artísticos apresentados ao público. Durante os últimos doze anos, ela tem trabalhado também como dramaturga e diretora, desenvolvendo roteiros de escritores americanos nativos, e tem conseguido agenciar relações entre artistas nativos, importantes organizações e outros grupos étnicos/raciais.

Pág. 1 de 5