O caminhar como performance política

Convocante: Adriana Mejía

Este grupo de trabalho estará demarcado no eixo temático do Encontro ‘Lutas pelas cidadanias’. Partirá da vivencialidade e da historicidade do caminhar, como repertório de ação coletiva. Três eixos temáticos desatarão a discussão entre os participantes:

  • • Mobilizações cidadãs rurais e urbanas
  • • Transfronteiras, como se resignificam e se mesclam
  • • Peregrinações teopolíticas

Metodologia
As pessoas interessadas em participar deste grupo de trabalho deverão ter uma experiência prévia sobre o tema, seja ela teória ou prática e deverão enviar um resumo de sua proposta ou imagens das obras com as quais abordaram o tema. Assim que grupo se forme, revisaremos cada uma destas experiências sob a luz das seguintes perguntas. Elas respondem tanto aos três eixos de discussão propostos como ao interesse por reconhecer o poder performático e político do caminhar.

  • • Como caminhar foi um elemento de colonização e descolonização?
  • • Como são estes atores, identidades e lugares para onde caminham? Os rostos e as rotas das marchas, desde os festivais de empoderamento até as de resistência e retomada territorial.
    • De que maneira há uma teopolítica do caminhar a partir da peregrinação expiatória até a marcha de reivindicação social?
  • • Como se introduziram os elementos e simbologias religiosas?
  • • Como se evidenciam as tensões entre a pegada e o caminhar?
  • • De que maneira se põe o corpo para esta ação, como a inserção da violência no caminhar impede a participação em ações coletivas?
  • • De que maneira se veste o corpo e que carga simbólica conduz para expor, expondo-se?
  • • É eficaz o caminhar como dispositivo de resistência mesmo quando seja manipulado mediaticamente pelo poder?
  • • Que processo de transformação de identidade se sofre quando migra com o caminhante? Como vão se transformando ou se mesclando essas ações coletivas no cruzamento de fronteiras internas e externas e, em alguns casos, como vão sumindo ao serem incorporadas ou legitimadas dentro das estruturas de poder?
FaLang translation system by Faboba